Em menos de uma semana, Montes Claros registrou duas mortes com suspeita de meningite. Além da garotinha Ana Lívia Bandeira, de 4 anos, que faleceu na última terça-feira, um rapaz de 22 anos morreu na sexta-feira, com sintomas da doença. A hipótese é a de que o jovem possa ter contraído a enfermidade por fungos transmitidos por pombos.

Os pais de Ana Lívia não sabem como ela pode ter contraído a meningite. Já os familiares do rapaz acreditam que a doença foi adquirida pelo contato com pombos, já que ele tinha criatório da ave no quintal de casa.

Os dois casos estão sendo investigados pela Vigilância Epidemiológica do município – o resultado deve sair em 45 dias.

A infectologista Ana Jéssica Cardoso explica que o pombo pode transmitir a meningite fúngica, causada pelo fungo Criptococo neoformans, encontrado nas fezes da ave. Um dos principais vetores da doença é o pombo doméstico. 

“O contágio se dá por meio da inalação de um fungo presente nas fezes da ave, que nosso organismo se encarrega de eliminar. Quando isso não acontece, ocorre uma forma de meningite que pode ser fatal”, explica a infectologista.

NAS PRAÇAS 
A possibilidade de contágio através dos pombos aumenta o alerta para os montes-clarenses, uma vez que as aves estão espalhadas em grande número pela cidade, principalmente pelas praças da Matriz e Doutor Chaves. 

Segundo o Centro de Controle e Zoonose de Montes Claros, não há nenhum tipo de ação que possa reduzir ou evitar a proliferação dos pombos na cidade. Os predadores naturais da ave são gaviões, gaivotas, gambás e corujas. Por isso, é comum as pessoas colocarem estátuas de corujas em parapeitos, para espantar os pombos.

Dados da Superintendência Regional de Saúde apontam que, em 2012, 18 pessoas tiveram a doença na cidade e, em 2013, 14 casos foram confirmados. O último registro da enfermidade em Montes Claros foi em 2015, quando uma criança de 2 anos morreu.
 
LEGISLAÇÃO
A criação de pombos é permitida em Montes Claros. A profissão é denominada de columbofilia, com fins desportivos. Para ter as aves, o criador deve se adequar a uma série de critérios: os viveiros precisam ser totalmente fechados, construídos de alvenaria, com dimensões de acordo com o tamanho do criadouro e mantidos limpos, secos e expostos ao sol. Além disso, as instalações devem ser livres de parasitas e protegidas de animais daninhos.

Confira os tipos de meningite 
Existem seis tipos de meningite: viral, bacteriana, fúngica, medicamentosa, carcinomatosa e inflamatória. O SUS distribui gratuitamente somente a vacina contra a meningite do tipo bacteriana (C), que é o sorogrupo mais frequente no Brasil e considerado o mais grave.

Mesmo sem registros recentes de meningite em Montes Claros, a população precisa ficar atenta ao calendário de vacinação do SUS. Um alerta é que a cobertura vacinal de crianças de até 1 ano contra a meningite não chega a 64% – muito abaixo dos 95% preconizados pelo Ministério da Saúde.

O índice baixo de proteção abre brecha para que a doença volte a atacar e fazer vítimas.

A vacina pode ser encontrada gratuitamente nos postos de saúde.