A pressão por leitos de tratamento da Covid-19, incluindo os de terapia intensiva, diminuiu consideravelmente em Minas nas últimas semanas. Nesta quinta-feira (22), 64 pacientes esperavam por um leito de UTI Covid no Estado. Na semana passada, eram 70. No início de junho, esse número chegou a ser quase quatro vezes maior.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, não há mais pressão por vagas nas macrorregiões. “Essa espera está caindo semanalmente, e é o cenário mais positivo, com pressão muito baixa por leitos e redução na ocupação”, afirma. 

A ocupação atual dos leitos exclusivos para o tratamento da doença está em 58% em Minas. Além disso, houve uma queda de 26% nas solicitações de internações no território mineiro. De acordo com o Executivo, o cenário favorável das ondas do plano Minas Consciente foi mantido com a melhora nos indicadores que monitoram a enfermidade.
 
MAIS TRANQUILO
Em Montes Claros, a ocupação de leitos clínicos do SUS exclusivos para Covid-19 estava em 40% no último dia 20, segundo boletim epidemiológico divulgado ontem. Na rede privada, a taxa era ainda menor: 23%. Já os leitos de UTI Covid apresentavam índice de 54% no SUS e 60% na particular.

Os leitos de suporte ventilatório pulmonar, oferecidos no Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira, registravam ocupação de 44%. Os dados mostram uma nova realidade, após meses de sobrecarga no sistema de saúde entre março e junho. Na maior cidade do Norte de Minas, há 141 pessoas hospitalizadas, sendo 97 da cidade e 44 de outros municípios.
 
CENÁRIO
Até o momento, mais de 1,9 milhão de mineiros testaram positivo para o vírus. Destes casos, 49 mil evoluíram para óbitos. Já os recuperados somam 1,8 milhão. Outros 60 mil seguem em observação, internados ou em isolamento social.

Em Montes Claros são 39.802 casos confirmados e 915 mortes registradas. Mais de 38 mil pessoas se recuperaram da doença provocada pelo novo coronavírus. 

“Todas as nossas análises são feitas com base nas vacinas que estão disponíveis e mostram que todas elas são eficazes. Esse é o motivo para estarmos chegando a melhores patamares da situação da pandemia”, completa o gestor.

Nesta quinta, o Comitê Extraordinário Covid-19 se reuniu para discutir a situação da pandemia no Estado. Com os resultados, a classificação das regiões se manteve, e 12 das 14 localidades permanecerão nas ondas Amarela e Verde, as mais flexíveis do plano. 

Estão na Onda Verde do Minas Consciente as regionais Sudeste e Vale do Aço. Na Amarela permanecem a Centro, Centro-Sul, Jequitinhonha, Leste, Noroeste, Norte, Oeste, Sul e Triângulo do Norte.

Já na faixa Vermelha estão Leste do Sul, Nordeste e Triângulo do Sul. Nenhuma delas, no entanto, possui a classificação de Cenário Epidemiológico e Assistencial Desfavorável, que é a de maior restrição do plano estadual.

O número de cidades com menos de 30 mil habitantes que poderão progredir de onda, independentemente da situação em que se encontra a macro ou a microrregião, é de 95 municípios nesta semana. Essas cidades registraram menos de 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.
*Com Agência Minas