A Campanha Nacional de Multivacinação e contra a Pólio entra na reta final. A próxima semana é a última para que pais e responsáveis levem as crianças a partir de um ano e adolescentes até 15 anos para atualizar o cartão e para imunizar meninos e meninas de 1 a 4 anos contra a poliomielite.

Apesar de o prazo estar acabando, a procura pelos postos de saúde ainda está muito abaixo do recomendado. Em Montes Claros, nem metade do público-alvo recebeu as doses de proteção, tão necessárias para livrar as crianças de várias doenças, como sarampo, catapora, pólio, dentre outras.

Em período de pandemia, blindar os filhos de outros riscos é fundamental e responsabilidade dos pais. Especialistas alertam que a vacinação é a medida mais eficaz no combate a doenças no país. 

A Secretaria de Saúde de Montes Claros informou que as salas de vacina estão preparadas para receber as crianças com toda a segurança que o momento de pandemia exige. Além disso, pais e crianças devem estar com máscara de proteção. 

Segundo a coordenadora do Programa de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Josianne Gusmão, os pais ou responsáveis devem levar as crianças e adolescentes até a unidade de saúde mais próxima, com o cartão de vacinação para que o profissional de saúde possa avaliar a situação vacinal e a necessidade da administração de vacinas. “Reforçamos que a falta do cartão não impede a vacinação. Além disso, pais ou responsáveis podem atualizar o próprio cartão de vacina no dia”, esclarece.

Para realizar a imunização das crianças, a Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros repassou mais de 269 mil doses de vacinas para 54 municípios no Norte de Minas que integram sua área de atuação.
 
SARAMPO
Também até o dia 30 de outubro acontece a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo para pessoas de 20 a 49 anos de idade. “Mesmo que as pessoas, dentro desta faixa de idade, estejam com o cartão de vacina em dia, deverão ir até uma unidade de saúde para vacinar contra o sarampo. As vacinas salvam vidas, por isso, é tão importante manter o cartão de vacina atualizado”, avalia a coordenadora do Programa de Imunização da SES-MG.