O avanço da dengue em território mineiro levou o Governo do Estado a decretar situação de emergência na saúde pública. Minas Gerais já registrou 140.754 casos prováveis de dengue no ano, com 14 óbitos confirmados.

Entre as regiões com situação crítica e que foi incluída na área de abrangência do decreto está o Norte de Minas, onde apenas neste ano já foram contabilizados 11.462 casos da doença – somando suspeitos e confirmados.

Além da região norte-mineira, o decreto válido por 120 dias vai oferecer assistência emergencial a municípios do Centro, Noroeste, Oeste, Triângulo e Sul do Estado.

Pelo decreto, 46,8% dos 301 municípios dessas regiões apresentam incidência alta ou muito alta de casos prováveis de dengue, com aumento significativo nas solicitações de internação, na comparação com mesmo período de 2018. O quadro é agravado ainda pelo atual déficit de leitos na rede pública de saúde.

A partir da publicação do decreto, governo e municípios ficam autorizados a adotar medidas assistenciais e administrativas necessárias para a contenção da epidemia, como a aquisição de insumos e materiais sem a necessidade de licitação.

Ao todo, 93 prefeituras receberão recursos para reforço de despesas com pessoal – como contratação de agentes de controle de endemias e capaci-tação de profissionais na assistência hospitalar – e custeio e manutenção de atividades, como confecção e reprodução de material gráfico informativo, aquisição de material de apoio para ações de mobilização e mutirões de limpeza de áreas prioritárias.

A cada 15 dias, até 30 de junho deste ano, os municípios com alta incidência irão contar com incentivo financeiro complementar, por meio de resolução específica. O parâmetro para definição dos municípios será a divulgação do Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus.
 
NORTE
De acordo com boletim epidemiológico de monitoramento dos casos de dengue, o Norte de Minas tem atualmente 52 cidades com incidência alta ou muito alta da doença.

Entre as dez com mais casos no Estado nas últimas quatro semanas, estão Cônego Marinho (182 casos) e Luislândia (100).

Em todo o ano, a cidade de Santa Fé de Minas, com 147 casos possíveis e população de 3.866, lidera na região, seguida por Mirabela, Ubaí, Miravânia, Gameleiras, Cônego Marinho, Campo Azul, Várzea da Palma, Luislândia e Padre Carvalho. Montes Claros aparece em situação média, com 746 casos.

Mirabela, que foi a primeira a registrar surto de dengue na região este ano, não estava na lista das cidades que receberiam verba para combate à dengue. Agora, com o decreto, o município pretende solicitar o recurso.