Data projetada pelas autoridades como o pico de contágio da Covid-19, ontem Minas confirmou 3.367 casos da doença em 24 horas. Foi o terceiro pior dia de notificações no Estado, desde o início da pandemia, em março.

Até então, de acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Saúde (SES), registros superiores ocorreram em 11 de julho, quando foram atestados 3.727 doentes, e 26 de junho, com 6.095. 

Nesse último caso, no entanto, vale lembrar que o Estado frisou que não se tratava de um recorde, mas que mudanças ocorreram no modelo de recolhimento de dados na tentativa de diminuir a diferença nos números informados pelas prefeituras.

AUGE DA DOENÇA
Até o momento, Minas tem 82.010 infectados pelo vírus. São 1.752 mortes, sendo que 64 óbitos foram confirmados nas últimas 24 horas.

Estudos da SES apontaram que o pico da pandemia estava previsto para ontem. Porém, após a informação, a própria secretaria explicou que o dia de maior transmissão poderia não acontecer naquela data. Agora, o Estado trabalha com a expectativa de um platô, que é a estabilização do contágio em um patamar mais alto, por vários dias, antes da redução dos novos casos.

Somente depois do período de pior transmissão do vírus é que as autoridades vão saber com exatidão o que de fato aconteceu em Minas.
 
Recuperados
De acordo com o balanço da SES, 56.001 pessoas estão sem os sintomas do vírus e são consideradas curadas. Outras 24.257 seguem em acompanhamento. Desde o início da pandemia, 9.344 doentes precisaram de internação hospitalar.

Até o momento, a enfermidade está presente em 763 municípios. Em 317 deles houve registro de mortes. Belo Horizonte tem o pior cenário, com 11.827 casos e 296 óbitos. A capital é seguida por Uberlândia, no Triângulo, com 9.370 infectados e 148 vidas perdidas.

Região terá R$ 8 milhões 
O senador Rodrigo Pacheco (MG), líder do Democratas, assegurou repasse de R$ 8 milhões para o combate à pandemia do coronavírus nos municípios do Norte de Minas. O valor, já depositado nas contas das prefeituras e entidades, faz parte dos recursos extras do Ministério da Saúde e foi indicado por Pacheco para reforçar as ações de prevenção e enfrentamento da Covid-19 nas cidades do Norte de Minas. 

Entre os municípios contemplados está Montes Claros, com R$ 3 milhões, sendo que R$ 2 milhões foram destinados a alguns dos principais centros médicos da cidade: R$ 1 milhão ao Hospital Dilson Godinho; e R$ 500 mil à Santa Casa e ao Hospital Aroldo Tourinho, separadamente. 
 
CONTEMPLADOS
O município de Janaúba recebeu R$ 1 milhão. Já Brasília de Minas foi contemplada, no total, com R$ 850 mil, transferidos em duas etapas: uma de R$ 350 mil e outra de R$ 500 mil. Porteirinha e Salinas receberam R$ 500 mil para cada; e Jaíba, R$ 400 mil. Também recebeu recursos, por indicação do senador, Coração de Jesus, R$ 300 mil. 

A Ibiá foram transferidos R$ 250 mil. Já tanto para Nova Porteirinha quanto para São João da Lagoa foram repassados R$ 200 mil, separadamente. Os municípios de Claro dos Poções, Miravânia, Pai Pedro, Serranópolis de Minas e Vargem Grande do Rio Pardo receberam, cada um, R$ 100 mil. 

Com os recursos, as prefeituras poderão adquirir medicamentos, insumos, equipamentos, além de contratar serviços de saúde e divulgação de informações à população. 

Para Rodrigo Pacheco, a situação no Estado é preocupante e, por isso, é imprescindível unir ações e esforços, de todos os poderes e da classe política, para ajudar os municípios no enfrentamento dessa crise, que não para de fazer vítimas.