Uma preocupação prioritária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a votação que renovará ocupantes de prefeituras e câmaras municipais em novembro é a segurança sanitária de todos os envolvidos. Diante do cenário de pandemia de Covid-19, a corte, assim como os tribunais regionais, procuraram dotar o processo de todos os cuidados possíveis, de modo a reduzir os riscos de contágio e garantir que cada cidadão possa cumprir o dever democrático.

Com a ajuda de empresas e instituições, por meio de doações, foi possível conseguir, em Minas, 17 carretas com cerca de dois milhões e 240 mil itens. Uma lista que inclui máscaras descartáveis, frascos de álcool gel, protetores faciais (face shields) e material para sinalização dos locais de votação, de modo a indicar o cumprimento do distanciamento social. 
 
KITS
Além disso, foram adquiridas vassouras e papel toalha. Há três semanas começou o trabalho de triagem e separação dos artigos, o que prosseguirá até o próximo dia 15. Os kits estão sendo embalados e, com a ajuda dos Correios, distribuídos para as 304 zonas eleitorais mineiras.

O Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020 foi elaborado pelo TSE com o suporte da Fiocruz e dos hospitais Albert Einstein e Sírio e Libanês, de São Paulo. Entre os protocolos a serem adotados está a obrigatoriedade do uso de máscara pelo eleitor, respeito de distância de pelo menos um metro nas filas e disponibilização de álcool em gel. A recomendação é a de que o eleitor compareça desacompanhado e leve a própria caneta para assinar o comprovante de presença.