Municípios do Norte de Minas já começam a definir estratégias para aplicar os recursos provenientes do acordo entre o governo do Estado e a Vale, aprovado ela Assembleia Legislativa de Minas Gerais. São R$ 135,5 milhões divididos entre as 86 cidades da região, de forma proporcional ao número de habitantes.

A maior parte do recurso – R$ 15 milhões – será direcionada a Montes Claros, maior cidade da região. Outros municípios, como Janaúba, Januária, São Francisco e Pirapora, terão direito a R$ 5 milhões cada. Municípios menores terão direito a recursos que variam de R$ 750 mil a R$ 2,5 milhões.

O líder da Bancada do Norte na Assembleia, deputado Tadeuzinho (MDB), diz que coube àquela Casa trabalhar para fazer com que parte dos recursos chegue aos municípios e sirva como uma espécie de auxílio para situações emergenciais, de acordo com a necessidade de cada um deles.

“É nas cidades que os problemas batem às portas das pessoas, e é lá que estão as principais necessidades. Por isso, nos unimos em torno de uma proposta de repasse de maneira rápida e direta”, afirma o parlamentar sobre os recursos que chegarão diretamente aos cofres das prefeituras.
 
ACORDO 
“A associação comemorou muito a aprovação desse repasse aos 853 municípios mineiros, especialmente para a nossa região. Em uma videoconferência com prefeitos, deputados e com o governador Romeu Zema, sugerimos em comum acordo com os deputados da Bancada do Norte de Minas que a verba fosse rateada para todos os municípios. Dessa forma, cada prefeito irá decidir quais as prioridades e onde investir”, explica o presidente da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), Nílson Bispo, prefeito de Padre Carvalho. 

“Aqui em Padre Carvalho vamos investir na saúde, educação e na infraestrutura da cidade”, define Nilsinho.
 
INFRAESTRUTURA
Direcionar os recursos para melhorar a infraestrutura das cidades tem sido a prerrogativa da maioria dos prefeitos. Em Januária, cidade com mais de 67 mil habitantes, os R$ 5 milhões que vão chegar serão usados em várias demandas da população, segundo o prefeito Maurício Almeida.

“Nós estamos organizando a dotação orçamentária. Com a chegada deste montante, iremos destinar parte dele para a infraestrutura urbana, com a pavimentação de ruas e a drenagem. Parte dos recursos iremos destinar para o saneamento com resíduos sólidos”, enumera.

Além disso, de acordo com o gestor, serão adquiridos bens para o município, como dois carros-pipa para atender a zona rural e fornecer o acesso à água potável. E as estradas rurais também terão um pouco desse valor. “E chega em boa hora, num momento em que o município precisa realizar os investimentos, atender aos anseios da população urbana e rural”, explica Maurício Almeida.

Já o município de Francisco Sá, com cerca de 30 mil habitantes, vai receber R$ 2,5 milhões. Mário Osvaldo Casasanta, prefeito do município, destaca que a notícia é muito positiva e vai ajudar a transformar a cidade.

“Para uma cidade como Francisco Sá, que a base de arrecadação é o FPM, vai mudar muita coisa. Queremos transformar ainda mais a cidade e fazer com que ela seja a melhor para se viver no Norte de Minas. É possível morar bem em Francisco Sá, que tem custo de vida baixo, muito verde e qualidade de vida. Esse recurso vai ajudar a fazer isso, com investimento em infraestrutura. É uma verba considerável”, afirma o prefeito.

Além do auxílio financeiro, a região Norte será contemplada com obras de infraestrutura com mais de R$ 300 milhões.

O procurador de Montes Claros, Otávio Rocha, não foi encontrado para falar sobre a destinação do recurso em Montes Claros.