Em visita à 38ª Exposição Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador, ontem, em Belo Horizonte, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina Costa Dias, afirmou que, além de ser muito importante para o agronegócio, a criação da raça também representa ótimas oportunidades de emprego no meio rural. No entanto, segundo a ministra, ainda falta mão de obra qualificada no setor.

Por isso é preciso investir. Temos que convocar o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), institutos federais e entidades privadas para, juntos, criarmos oportunidades de qualificação, principalmente entre os jovens”, afirmou.

A visita à exposição teve como objetivo sintonizar o governo federal com os problemas que circundam os negócios com o mangalarga marchador, para abrir ainda mais o mercado. “Já está no radar do governo agilizar o fim de entraves burocráticos e sanitários do setor”, disse a ministra.

Tereza Cristina foi recebida pelo presidente da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), Daniel Borja, e estava acompanhada da secretária de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Maria Valentini, além de Raquel Muniz.
 
HOMENAGEM
Durante a passagem por Belo Horizonte, a ministra Tereza Cristina também participou, na noite de quinta-feira, de solenidade para receber a grande medalha do Mérito Rural da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg) pelo trabalho em prol do agronegócio mineiro. Além dela, outras 17 homenagens foram entregues a produtores rurais, sindicatos e corporações.

No evento, a ministra se mostrou otimista sobre o cenário tanto em Minas quanto no país. “Minas está indo muito bem e tem muito potencial”, elogiou, citando o recém-firmado acordo entre Mercosul e União Europeia como grande oportunidade de o Estado avançar no segmento.
 
NORTE DE MINAS
A região Norte de Minas foi contemplada com duas homenagens a produtores rurais. A ex-deputada federal Raquel Muniz comemorou as premiações e afirmou ter boas perspectivas a respeito do trabalho de Tereza Cristina.

“Trabalhamos juntas na Frente Parlamentar Agropecuária e a ministra sempre se mostrou muito atenta aos interesses dos produtores rurais. Vemos nesses 200 dias de governo que ela tem trabalhado muito para desburocratizar o ministério e promover o desenvolvimento do setor”, disse.

O governador Romeu Zema (novo) também demonstrou otimismo para o setor e declarou estar trabalhando por este e outros segmentos que geram riquezas ao Estado.

Ele lembrou que o agronegócio está entre os grandes responsáveis pelo crescimento do Produto Interno Bruto estadual, que superou o índice brasileiro no primeiro trimestre de 2019, segundo o IBGE.

“O campo enfrenta dificuldades diferentes e temos trabalhado muito para resolver, como as questões ambientais. Nossas secretarias de Agricultura e Meio Ambiente têm trabalhado em conjunto e o estoque de processos em análise tem caído substancialmente”, disse.

O produtores do Norte homenageados pela Faemg foram Nuno Casassanta e Rodrigo Pinto Canabrava. Casassanta trabalha há mais de 30 anos no cultivo de frutas na cidade de Janaúba e já foi secretário da Agricultura do governo de Minas. Canabrava cria gado de corte em Bocaiúva. (Com Danielle Franco)