O Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em reunião em Recife, quinta-feira, decidiu revisar os valores previstos para investimentos nos estados membros e reajustou a verba para Minas Gerais em R$ 220 milhões a mais do que o previsto.

A proposta de revisão foi solicitada pelo senador Carlos Viana (PSD). A princípio, Minas receberia R$ 919 milhões. Com a mudança o valor foi reajustado para R$ 1.120 bilhão, já para o exercício de 2020.

Os recursos do Fundo Constitucional do Financiamento do Nordeste (FNE) vão viabilizar projetos nas áreas de agricultura, infraestrutura, turismo e geração de renda, nos 168 municípios mineiros que integram a Sudene. Serão beneficiados o Norte de Minas, o Vale do Jequitinhonha e parte do Vale do Mucuri.

Para o senador Carlos Viana, Minas Gerais está voltando a ter o protagonismo que havia perdido nos últimos anos. “Esse significativo aumento dos investimentos em Minas mostra o quanto nosso Estado voltou a ser reconhecido pelo governo”.

O dinheiro estará disponível para empréstimos a juros subsidiados pelo Banco do Nordeste.