Prometendo não medir esforços para cobrar melhorias na área que considera a mais sensível e deficitária da cidade – a saúde –, o médico João Paulo Batista (PSB) foi empossado ontem na Câmara de Montes Claros. Ele assume a cadeira deixada pelo agente federal Cláudio Prates, que pediu exoneração do cargo.

O vereador fez sua estreia na tribuna agradecendo ao povo que o elegeu e demonstrando firmeza na defesa dos direitos da população. “Estou muito emocionado e inicio minha jornada com um sincero agradecimento a Deus e a meus eleitores. A partir de agora vou usar a tribuna para tratar das necessidades e anseios da população”, disse.

“Como atuo na área de saúde e no atendimento aos pacientes do SUS, sei como a demanda da saúde é importante. Vou cobrar, sobretudo, os direitos dos funcionários do Hospital Aroldo Tourinho e a porta de entrada do Hospital Alpheu de Quadros, que está superlotado. Ali muita gente acaba voltando sem o atendimento”, pontuou.

Em relação ao Executivo, o vereador disse que ainda é prematuro se posicionar, uma vez que ainda não esteve com o prefeito Humberto Souto (PPS).

“Ainda não tenho uma definição. Vou participar das reuniões e pretendo cobrar aquelas que são as necessidades da população. Se ele não atender, vou falar e me posicionar com o objetivo de que os problemas sejam resolvidos”, ressaltou.

Quanto ao imbróglio que se estendeu sobre a definição do nome que ocuparia a vaga deixada por Cláudio Prates (PTB) e deixou a Câmara sem vereador por 21 dias, João Paulo disse que foi informado que Fábio Neves, primeiro suplente da coligação, teria entrado com recurso para tentar reaver a vaga.

A reportagem tentou contato Neves, mas até o fechamento desta edição, ele não havia retornado às ligações.