O Estado vai abrir concurso público para até 684 vagas para a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). O anúncio foi feito nesta quarta-feira (7) pelo governador Romeu Zema, durante formatura de 73 escrivães e 30 delegados da corporação, em cerimônia na Academia de Polícia Civil, em Belo Horizonte.

Zema também comunicou que serão chamados 80 profissionais que ficaram como excedentes do último concurso da instituição, em 2018. 

O governador, que foi o paraninfo da turma, destacou a importância da formação dos novos profissionais para o trabalho para reforçar não só a entidade, mas a segurança dos mineiros. 

Eles serão designados para trabalhar em várias regiões do Estado, contribuindo ainda mais para a queda dos índices de criminalidade e melhor atendimento à população.

“Vocês têm uma grande missão pela frente, temos conseguido melhorar ano a ano as taxas de criminalidade do Estado. E contamos com o empenho e comprometimento de todos vocês. Quero anunciar nosso apoio e apoio do meu governo à Polícia Civil. Temos desenvolvido a instituição, modernizada, e teremos depois de oito anos um novo concurso com 684 vagas para todas as carreiras. Vamos fortalecer a segurança do povo mineiro”, afirmou o governador durante o discurso.
 
CARGOS
Das 684 vagas que poderão ser disponibilizadas, serão até 30 para a carreira de Investigador de Polícia, até 397 para a carreira de Escrivão de Polícia, até 62 para a carreira de Delegado de Polícia, até nove para a carreira de Médico Legista, até 21 para a carreira de Perito Criminal, até 51 para a carreira de Analista da Polícia Civil e até 114 para a carreira de Técnico Assistente da Polícia Civil.

Além do novo concurso público, que depois de oito anos irá contemplar todas as categorias, 16 delegados e 64 escrivães que ficaram como excedentes também foram convocados para ingressar na corporação.
*Com Agência Minas


Mais operações e inquéritos concluídos
O chefe da Polícia Civil, delegado-geral Joaquim Francisco, ressaltou o apoio da gestão de Romeu Zema à instituição e destacou a integração das Forças de Segurança e os avanços nos trabalhos. 

Somente em 2021, foram 524 operações realizadas entre janeiro e maio e 160 mil inquéritos instaurados. Ao todo, 96,5% dos inquéritos de homicídios foram elucidados, com indiciamento em 2021.

“A Polícia Civil editou seu planejamento estratégico, seu portfólio de projetos e o seu plano diretor de modernização. Tudo isso para tornar a instituição mais próxima do cidadão, com foco na execução de suas funções constitucionais e na conquista de confiança, de respeito e de reconhecimento. Os dados revelam que a Polícia Civil tem trabalhado muito. Mas podemos ir mais adiante e é por isso que convido vocês para os desafios que cercam nossa honrosa missão, executando serviços de excelência para toda sociedade, com ética, profissionalismo e integridade”, afirmou o chefe da PCMG.
 
MODERNIZAÇÃO
O governador também falou que irá enviar, nos próximos dias, projeto de lei para a modernização da estrutura da Polícia Civil. A iniciativa abrange a racionalização dos procedimentos internos para maior agilidade, qualidade da atuação e maior alinhamento e interação com a sociedade, garantindo mais transparência, melhorando o atendimento e proteção ao cidadão.