Com participação dos internautas, o segundo debate de candidatos à Prefeitura de Montes Claros, promovido pela Norte TV em parceria com os jornais O NORTE e Hoje em Dia, foi realizado nesta quinta-feira (1). O médico e empresário Ruy Muniz (Progessistas) e o professor e historiador Marcelo Valmor (PTC) apresentaram suas propostas, com destaque, mais uma vez, para as áreas de saúde, educação, geração de postos de trabalho e, ainda, a valorização do cidadão, bem como melhorias para os bairros de periferia. 

O primeiro tema abordado foi o desenvolvimento social e os candidatos fizeram questão de frisar que toda administração precisa ter essa área como um do seus pilares, focando no cidadão mais fragilizado. Ruy Muniz destacou que, em sua gestão, a área social recebeu total suporte, com o restaurante popular, o consultório de rua e, ainda, com casas que abrigavam e devolviam a dignidade a quem, por qualquer motivo, estivesse em situação de rua. Para Valmor, uma gestão humanizada é a melhor forma de devolver ao cidadão os impostos que pagam para a administração pública. 

Com relação à saúde, o principal fato destacado pelos candidatos foi o fato de as cirurgias eletivas ficarem suspensas por um longo período, penalizando quem está sofrendo com doenças, que embora não sejam fatais, causam desconforto e muita dor. 

“O poder público tem a obrigação de estruturar de forma adequada o sistema público de saúde, mesmo diante de uma pandemia. Na minha administração, implantei o Melhor em Casa, para tratar os pacientes crônicos, mais do que dobrei as equipes de Saúde da Família e promovi uma saúde à altura do cidadão”, ressaltou Ruy Muniz.

Já Marcelo Valmor destacou que, se eleito, vai buscar ampliar as parcerias com as unidades de saúde já existentes na cidade. “Não podemos, por um capricho político, prejudicar o cidadão e deixar, por exemplo, um hospital como o Hospital Dr. Mário Ribeiro sem credenciamento junto ao SUS. A cidade precisa, a população precisa e, por isso, em nossa administração vamos buscar esse credenciamento”, afirmou.
 
EDUCAÇÃO
Quando o tema passou a ser educação, ambos foram unânimes em defender a valorização do professor como o melhor caminho para a construção de uma educação inclusiva e de qualidade. Para os candidatos, o fato de a atual administração não pagar o piso nacional, ter cortado número de vagas nas escolas e implantar a dobra, mostra que a gestão não se preocupa nem com os atuais cidadãos, nem com os futuros cidadãos.

“Implantar a dobra mostra que a educação não tem valor na atual administração. A dobra obriga o professor a trabalhar dois turnos, recebendo apenas 50% por um dos cargos. Como professor, não posso admitir isso e, como gestor, vou garantir não apenas salário digno aos professores, mas condições de trabalho, com escolas bem equipadas, para que possamos atrair as crianças e os jovens para a instituição, para que eles se ‘apaixonem’ pela escola, e sejam presença frequente”, frisou Marcelo Valmor.

Ao destacar que em sua administração ele implantou um sistema de ensino que garantia não apenas a valorização dos professores, mas dos alunos e das famílias, com material didático de qualidade, com uniformes e o contraturno da educação integral, Muniz afirmou que hoje existem mais de 10 mil crianças de 0 a 5 anos, fora da escola em Montes Claros.

“A administração que não leva a educação a sério também não merece ser levada a sério. Na minha administração pagávamos o piso e, ainda, 14º salário. Tínhamos 38 mil crianças em sala de aula, contra as atuais 33 mil. O Programa UCA – Um Computador por Aluno -, era uma realidade e permitia que as crianças se conectassem com o mundo e aprendesse muito sobre as novas tecnologias. Mas isso foi desvalorizado e a educação de Montes Claros sofreu um retrocesso”, avaliou.

O programa Frente a Frente, em que os candidatos a prefeito de Montes Claros são convidados a expor suas ideais, seu plano de governo para a cidade, acontece sempre às terças e quintas, às 16h, com reprise às 21h.