Os casos confirmados de Covid-19 avançam em Montes Claros. Nesta quinta-feira, a Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais seis registros, sendo quatro pessoas de uma mesma família. São agora 38 pessoas que estão ou estiveram infectadas pelo novo coronavírus na cidade e 377 estão sob investigação.

Para combater a pandemia, a Bancada do Norte, liderada pelo deputado Tadeu Martins Leite (Tadeuzinho), do MDB, aprovou um aporte financeiro para a região de cerca de R$ 20 milhões. A fonte do recurso é o orçamento estadual, por meio das emendas parlamentares. Para o deputado, o quadro é assustador, com 139 óbitos no Estado em razão da doença – pelo menos sete deles no Norte de Minas.

“A Bancada do Norte está unida e empenhando todos os esforços possíveis para que a nossa região sofra o mínimo com a Covid-19. Garantimos juntos este recurso para ajudar aos norte-mineiros no enfrentamento dessa pandemia, que vem causando tantos estragos no país”, disse Tadeuzinho em nome do grupo, que para efetivar a ação, se reuniu por meio de videoconferência. A expectativa dos parlamentares é a de que os repasses comecem a chegar nas próximas semanas.

Um projeto de lei aprovado em abril pela Assembleia permitiu que as emendas fossem agora direcionadas para o combate ao coronavírus. O recurso será destinado a aquisição de equipamentos para hospitais, EPIs e suprimentos relacionados ao diagnóstico e tratamento da Covid-19. 

Além de Tadeuzinho, a bancada que representa a região tem os deputados Arlen Santiago (PTB), Carlos Pimenta (PDT), Gil Pereira (PSD), Leninha (PT), Virgílio Guimarães (PT) e Zé Reis (PSD).
 
COBRANÇA
O vereador Ildeu Maia (Progressistas) comemora a chegada de mais este recurso, mas questiona a aplicação dos valores que são enviados a Montes Claros. 

“Estamos vendo o aumento do número de pessoas infectadas e hospitalizadas em razão da doença. Nós aprovamos na Câmara mais de R$ 15 milhões do governo federal para as ações de combate ao coronavírus. O recurso é para colocar mais leitos em hospitais, comprar equipamentos de proteção para servidores da saúde e outras medidas pontuais. Mas não estamos vendo nenhuma medida eficaz”, afirma o parlamentar.

Segundo ele, nos próximos dias chegarão mais R$ 45 milhões. “E o que a gente pede ao Executivo é para que aja com urgência e transparência. Há uma preocupação muito grande por parte deste vereador e acredito, de toda a população”, disse Ildeu.

O advogado L. F., que habitualmente assistia as reuniões da Câmara Municipal, alerta que o Executivo não tem lidado de maneira clara com a população e os recursos estão mascarados. Para ele, sem as reuniões presenciais fica mais difícil a população fazer cobranças.

“Esperamos que os vereadores cobrem de maneira séria a aplicação dos recursos vindos de diversas fontes”, sugeriu.

A reportagem tentou contato com o procurador do município, Otávio Rocha, mas até o fechamento da edição não houve retorno.