Tempo seco aumenta em 20% problemas renais

Carlos Vaz*
04/05/2022 às 00:02.
Atualizado em 04/05/2022 às 10:03

Uma em cada dez pessoas no mundo deve desenvolver cálculo renal em algum momento da vida. Ou seja, a doença, que é conhecida também como pedra nos rins, deve afetar 10% da população mundial. Mas existe um fator climático que vem alterando as perspectivas e pode fazer com que esse número cresça e muito: as grandes oscilações de temperatura.

A relação é simples: quando se chega nos extremos da temperatura, como nos dias muito quentes, os casos de pacientes com cálculos renais crescem cerca de 30%. Os efeitos das altas temperaturas nos rins afetam mais homens do que as mulheres. Uma pesquisa feita no verão americano comprovou essa conexão, mas o alerta também serve para o período do inverno, por causa do tempo muito seco.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), existe um aumento de 20% nos casos relacionados a problemas renais devido à baixa umidade. O desenvolvimento de pedras nos rins é o campeão. A causa do aumento pode ser explicada pela desidratação que essa condição climática costuma causar. Nesse caso, a desidratação faz com que a urina fique mais concentrada, ou seja, propício para que os cálculos renais apareçam.

Outro fator que faz com que a concentração da urina aumente é a baixa ingestão de água. O tratamento, portanto, consiste em fazer a hidratação ao longo das 24 horas do dia. Não é recomendado beber 1 litro de água à noite e outro pela manhã e ficar desidratado durante o dia. É preciso manter uma regularidade na hidratação. A orientação é de que se urine em média um volume de 2 litros por dia.

A longo prazo, a perspectiva é que o número de pessoas com pedras nos rins aumente ainda mais e o motivo é um velho conhecido: o aquecimento global. Estudos internacionais apontam que o agravamento do fenômeno impacta diretamente na saúde dos rins, pois com o aquecimento gradual do planeta, as pessoas podem viver mais em meio às altas temperaturas. Isso prejudica o funcionamento do órgão, que vai além do limite para um funcionamento pleno.

As expectativas sobre a saúde dos rins da população vão além dos cálculos renais e preocupam: em 2040, as doenças renais crônicas, que causam insuficiência, podem ser a quinta maior causa de mortes no mundo. Muita água e vigilância são aliadas quando se trata das questões nos rins. Com o tratamento no início da doença é possível evitar cirurgias e internações, já que essas pequenas “pedrinhas” no sistema urinário podem causar muita dor e desconforto.

*Médico pela UFMG, urologista, fellow em cirurgia laparoscópica e robótica em Paris, mestre em oncologia e diretor presidente do Hospital Urológica

Compartilhar
Logotipo O NorteLogotipo O Norte
E-MAIL:jornalismo@onorte.net
ENDEREÇO:Rua Justino CâmaraCentro - Montes Claros - MGCEP: 39400-010
O Norte© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por