Um canto elegíaco

Vitrine Literária / 16/01/2008 - 10h36

Pai!
 
O tempo anda engolindo a tua memória
Não é por acaso que existe este tesouro.
Dentro dele é guardado toda a história
É uma jóia de letras coberta com ouro.
 
Pai!
 
O tempo anda engolindo os teus anos
Não é por acaso que existe tanta aflição.
Hoje restam apenas os teus desenganos
Que nas águas estão sobre breve visão.
 
Pai!
 
O tempo anda engolindo as lembranças
Com a infinita tristeza de tuas saudades.
Desde as inquietudes de sermos crianças
Até o último instante de nossas idades.
 
Pai!
 
O tempo há de engolir o próprio tempo
Pois assim serão os ditames de Deus.
Neste instante não haverá contratempo
Ah, e nem tampouco um aviso dos céus.
 
Pai!...
 
Poesia do livro Dóris & Dário

Publicidade
Publicidade
Comentários