Visita do governador

Preto no Branco / 16/04/2021 - 00h40

Não temos dúvidas de que é sempre bem-vinda a visita do governador Romeu Zema ao Norte de Minas. Entretanto, o que chama a atenção é a agenda que foi anunciada pela assessoria para a visita desta sexta-feira, em Bocaiuva e Montes Claros. Cita que visitará escolas que foram reformadas, acompanhamento de vacinação da Covid-19 e anúncio da duplicação da BR-135 entre as duas cidades. A agenda por si só não justifica o deslocamento, já que o principal fato é a duplicação de trecho da BR que é uma obrigação da empresa ECO, conforme contrato de concessão para exploração da rodovia. A expectativa é a de que o ponto principal seja o anúncio das obras do Anel Rodoviário Norte.

Quem será
Como já era esperado, os atuais parlamentares da região começaram a se movimentar com relação à eleição de 2022. Um ponto interessante que vem sendo “guardado a sete chaves” é a decisão de um dos nossos deputados estaduais que pensa em “abandonar a chuteira”. A este respeito, a pessoa em questão vem inclusive transferindo seu reduto eleitoral para outro parlamentar. Ainda bem que os entendimentos estão em torno de nomes da região. Como a campanha vem sendo antecipada, não demoraremos muito para anunciar o nome. Por enquanto, a fonte pediu para que o fato não seja antecipado.
 
Federal sendo estadual
A coluna causou polêmica quando anunciou mudanças na disputa proporcional no Norte de Minas. Citamos que determinado deputado federal estaria articulando sua volta à disputa por vaga na Assembleia Legislativa. Na época, houve inclusive tentativa de desmentir este jornalista. Agora, faltando um ano e quatro meses para a eleição de 2022, os fatos já começam a ser clareados. A última informação que recebemos é a de que o referido parlamentar está apresentando as suas bases a um outro deputado. Menos mal é que está sendo um entendimento caseiro. O certo é que o eleitorado ficará surpreso quando souber quem são os personagens, a base do entendimento e as posições políticas.
 
Calendário fiscal
Em pleno colapso da saúde estamos assistindo governantes, nas três esferas do poder, transferindo o ônus à população e colhendo o bônus. Na prática, entram apenas com medidas restritivas. Para se ter ideia, estão colocando em prática o chamado calendário fiscal, com cobrança de impostos de todas as ordens, a exemplo de IPTU, ISS, alvarás e outros tributos. O problema é que a matemática não fecha. Você é obrigado a fechar seu estabelecimento, ficar sem emprego, mas não pode ficar sem pagar os impostos. A sugestão é que seja decretada a “Onda Roxa ou Lockdown tributário”, onde o contribuinte só pagaria as contas após a normalização.

Publicidade
Publicidade
Comentários