Time desentrosado

Preto no Branco / 05/10/2021 - 00h10
A vaidade e a “luta do poder pelo poder” têm provocado desarmonia na base de oposição no país, principalmente as agremiações mais ligadas à esquerda. O desenho no momento é que o nome para a disputa é do ex-presidente Lula e não se fala mais no assunto. A este respeito, na semana passada, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) participou de concentração denominada de “fora Bolsonaro” em São Paulo e no Rio de Janeiro, quando foi praticamente agredido, sendo obrigado a deixar o local.
 
Somente 100%
Vários leitores ainda estão com dúvidas em relação à nova regra eleitoral que vale para o pleito de 2022 e 2024. A mudança que certamente mudará profundamente o quadro surge como um “distritão” disfarçado. É que a Lei exige das agremiações 80% do quociente eleitoral e que o candidato tenha 20% desse quociente para entrar na disputa pela sobra. O resultado é que, na prática, acabarão sendo eleitos os mais votados. No caso das eleições municipais, em cidades como Montes Claros, a situação é ainda mais complicada, já que os partidos só poderão lançar 100% de candidatos e não mais 150%, ou seja, apenas 23 candidatos, ao invés de 35. Isto porque a regra vale para as cidades com mais de 100 mil habitantes.
 
Artesão e a Covid
Tenho tido a preocupação de não cair no vazio fazendo a crítica pela crítica. Entretanto, alguns assuntos têm preocupado não somente este jornalista como também as pessoas diretamente prejudicadas. É o caso do absurdo provocado pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 em Montes Claros e, consequentemente, a direção do Executivo que insiste em não autorizar a exposição de artesãos nas feiras livres da cidade, a exemplo da que acontece no Bairro São José. Hoje, barzinhos, clubes, jogos de futebol, cinemas, comércio estão liberados para funcionarem normalmente, menos estes profissionais que estão há dois anos sem trabalhar.
 
Santa Casa
No próximo dia 21, a Câmara Municipal de Montes Claros vai homenagear a Santa Casa pelo aniversário de 150 anos de existência. A proposta é de autoria do vereador Marcos Nem e será apresentada na reunião desta terça-feira (5). O hospital é parte viva da história do município.
 
Pai da criança
Causou um certo mal-estar postagem feita pelo deputado federal Marcelo que, mesmo sem citar nomes, criticou parlamentares da região e um senador pela postagem em que afirmaram terem participação na decisão do governo federal de autorizar a licitação para o asfaltamento da BR-135. Choveu críticas à referida postagem. O certo é que o movimento foi importante sim e deve continuar, já que apenas o asfaltamento do primeiro trecho está garantido. Aliás, há um ditado romano utilizado no mundo jurídico: quod abundat non nocet (o que abunda não prejudica) – Aquilo que não atrapalha não prejudica.
 
Publicidade
Publicidade
Comentários