Saúde para Saúde

Preto no Branco / 20/11/2021 - 00h28

Apesar do farto dinheiro que vem irrigando o setor de saúde de Montes Claros nos últimos dois anos, principalmente oriundo do governo federal para o enfrentamento à Covid-19, a população continua perecendo por falta de atendimento médico. Para se ter ideia, existem especialidades em que hospitais são obrigados a colocar à disposição do paciente SUS, mas se limitam a apresentar justificativa contando com a conivência do município. É preciso que a população entenda que a saúde é de responsabilidade da prefeitura, já que é municipalizada.

Por que o PL?
Tenho recebido vários questionamentos de leitores querendo saber o porquê da decisão do presidente Bolsonaro em optar por se filiar no PL. São inúmeras as razões. A primeira é que teria que ser um partido de direita. Segundo, uma agremiação onde houvesse liberdade e influência nas amarrações nos estados. Entretanto, considero como principal motivo o fato de o PL ser uma agremiação com forte influência sobre o chamado Centrão, capaz de aglutinar várias agremiações em torno do projeto político.
 
Quem é o Centrão?
Para ter maior influência no Congresso, os parlamentares se unem em grupos ou blocos, de forma a ter poder para mudar o equilíbrio de forças na Câmara e no Senado, especialmente na Câmara onde dos 513 parlamentares, o Centrão conta entre 170 a 220 deputados de diversos partidos. O Centrão oficial é formado por parlamentares do PP, PL, Republicanos, Solidariedade e PTB. Entretanto, em determinadas ocasiões (votação) tem o apoio de integrantes do PSD, MDB, DEM, PROS, PSC, Avante e Patriota.
 
Largada da direita
Entre os integrantes do Centrão que definiram pelo apoio à reeleição de Bolsonaro, além do PL, o seu novo partido, está certa a presença do PRB e do PP. É fato que ainda é cedo para adiantar como ficarão as composições, o que somente saberemos quando as outras candidaturas forem postas oficialmente.
 
Largada da oposição
A dificuldade de leitura da disputa majoritária nacional está justamente na indefinição das candidaturas da esquerda. Tanto setores da imprensa como partidos mais alinhados à esquerda colocaram o ex-presidente Lula (PT) como centro dos holofotes, impedindo o aparecimento de outros nomes. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) continua tentando ser a terceira via do processo, mas tem encontrado dificuldades justamente por pertencer ao mesmo bloco aliado ao projeto do ex-presidente petista.
 
Bombeiro Militar
Na primeira quinzena de dezembro a cúpula do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais divulgará a relação dos oficiais que serão promovidos. Neste ano, dois montes-clarenses estão concorrendo ao posto de tenente-coronel. Trata-se do major Darlan Moreira Soares e do major Andrey Márcio Gomes.

Publicidade
Publicidade
Comentários