Reforma eleitoral

Preto no Branco / 28/09/2021 - 00h59

Durante a semana comentaremos e analisaremos trechos da reforma eleitoral, que na prática resultará no fim dos chamados partidos nanicos. Entretanto, de uma forma mais ampla, se a Lei for sancionada pelo presidente, o Norte de Minas, inclusive, corre o risco de diminuir sua representatividade na Assembleia Legislativa. Se as eleições fossem hoje, dos atuais seis parlamentares que compõem a bancada regional, somente três apareceriam no “holofote do processo”. Isto não quer dizer que os demais ficariam fora, vai depender de como conduzirão a campanha de agora em diante. Por questões de ética, preferimos não citar nomes.

Bloco-8 e o governo
Recentemente, o governador Romeu Zema (Novo) fez comentários em relação ao Projeto Bloco-8, liderado pelo grupo chinês e que tem sido representado pela SAM- Sul Americana de Metais S.A. Quem conhece o projeto sabe que, após implantado, será a redenção dos municípios da região de Grão Mogol, conforme já havíamos comentado. A este respeito, o que mais chama a atenção é o fato de o chefe do Executivo mineiro ter cruzado os braços para o empreendimento, sequer manifestando sobre a burocracia e a falta de boa vontade dos órgãos ambientais do Estado, que simplesmente sentaram em cima do projeto, sem dar parecer, ou justificando o que está por trás de tanta demora. Aliás, a este respeito, vale chamar a atenção também dos deputados votados no Norte de Minas, que deveriam ser os mais interessados.
 
Vacina Eurofarma
Nas redes sociais, diversas pessoas continuam alimentando a informação de que a partir do próximo ano a fábrica de medicamentos da Eurofarma, que está sendo construída em Montes Claros, será uma das responsáveis pela fabricação de vacinas da Pfizer, conforme acordo feito com a empresa americana. A este respeito, este jornalista fez contato com integrante da direção da empresa recebendo a informação de que, num primeiro momento, tal possibilidade não existe. No próximo ano, a responsável pelas vacinas será a fábrica da Eurofarma de São Paulo, já que a de Montes Claros só estará concluída e em operação a partir de 2023.
 
CPI da Covid
Vários leitores questionando sobre o prazo de duração da CPI da Covid-19 instalada pelo Senado Federal. Primeiro, trata-se de um assunto que não costumamos comentar, principalmente por saber que o viés é puramente baseado em conveniência política da maioria dos seus membros e para alimentar setores da imprensa. O certo é que a novela deve esticar até a proximidade das eleições de 2022, de forma que a conclusão gere suspeita sobre os envolvidos. Trata-se do que chamamos de condenação antecipada. Do ponto de vista da população, o assunto não tem interessado, em face do histórico da direção dos trabalhos.

Publicidade
Publicidade
Comentários