Publicação de terça-feira, 10 de abril de 2007

Preto no Branco / 10/04/2007 - 08h25

FIM DO CASAMENTO

· Pelo que apurou a coluna Preto no Branco, o vereador Lipa Xavier deve anunciar oficialmente, da tribuna da câmara, na manhã de hoje, o fim do casamento entre o PCdoB e o PPS, mais especificamente a administração municipal. A última tentativa de entendimento aconteceu na quarta-feira, 04,  às  17h30, quando os comunistas estiveram reunidos com o prefeito Athos Avelino para decidir se continuariam ou não fazendo parte da base aliada.

Ontem tentamos buscar junto ao vereador Lipa Xavier informações sobre o encontro de quarta-feira. O líder comunista se limitou a dizer que a reunião não foi muito boa e que ainda no final da tarde de ontem a agremiação estaria  reunida para resolver de vez a questão.

Como as lideranças do PCdoB  têm anunciado que a participação na administração é em função de um projeto político e não de cargo, não faz qualquer sentido continuar mantendo um casamento de aparências.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

NÃO EXISTE MAIS CLIMA

· Há algum tempo a direção do  PCdoB de Montes Claros vinha percebendo que não estava havendo mais clima para uma convivência saudável com  a administração do prefeito Athos Avelino. A agremiação não vinha participando das discussões do projeto político-administrativo.  Nem mesmo na secretaria de Esporte, através do professor Georgino Jorge de Souza Neto, o Gino, os comunistas conseguiram implantar suas idéias. A reforma administrativa, com o fim da secretaria comandada pelo partido, foi o que fez emergir a falta de sintonia entre o poder municipal e o PCdoB.

Lamentavelmente, o que deveria ser uma questão interna acabou  por ser abordado durante uma das reuniões da bancada governista. Em um dos encontros foi ventilada inclusive a saída do vereador Lipa Xavier da base aliada. Evidente que não teve o aval da bancada. De qualquer forma, hoje é o dia D para o PCdoB...

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

DOADORES DE SANGUE I

· Tramita na câmara federal projeto de lei do deputado Felipe Bornier - PHS-RJ, que concede vantagens para quem doar sangue para a rede pública de hemocentros em todo o país. Conforme a proposta, os trabalhadores da iniciativa privada terão mais um dia de férias após comprovar quatro doações consecutivas de sangue a hemocentros públicos. Além disso, toda pessoa desempregada que doar sangue terá três pontos de bonificação quando prestar qualquer concurso público na esfera federal, após comprovar quatro doações consecutivas.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

DOADORES DE SANGUE II

· Outra proposta do deputado Felipe Bornier - PHS-RJ que está sendo analisado pela câmara é o que isenta do pagamento da taxa de inscrição em processos seletivos de órgãos públicos quem tiver doado sangue, órgãos ou tecidos humanos. Segundo o texto, a isenção será dada ao cidadão que houver doado sangue em centro de coleta mantido pelo poder público por pelo menos três vezes nos 18 meses que antecederem à inscrição ou tiver doado um órgão ou tecido humano para reposição em pessoa portadora de doença crônica.

A proposta proíbe entidades da administração pública federal direta e indireta, inclusive universidades federais, de cobrar inscrição nos processos seletivos. De acordo com o projeto, os hemocentros e os bancos de sangue dos hospitais expedirão um documento comprovando as doações.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

POSSE NA AVAMS

· A nova diretoria da Avams - Associação dos vereadores da área mineira da Sudene toma posse oficialmente no próximo dia 17. A eleição da entidade aconteceu no início de março, mas os eleitos não assumiram porque querem primeiramente saber da real situação da associação. De antemão podemos afirmar que o presidente eleito, Abelar Carlos Pimenta, terá que fazer vistas grossas, já que a Avams tem dívidas de toda espécie. Como o ex-presidente Luiz Neto, Luizinho, continua fazendo parte da nova diretoria, é no mínimo constrangedor levantar o tapete da associação em público.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

BASE ALIADA

· Com o fim do relacionamento entre o PCdoB e a administração, resta apenas o PT como verdadeiro aliado da atual administração. Os outros partidos que estiveram junto com Athos no segundo turno das eleições (no primeiro estiveram com Gil Pereira), de fato não estão se entregando de corpo e alma. A participação tem sido proporcional ao espaço conquistado. Neste caso em particular podemos citar o PTB e o PDT.  Já o Partido Verde, depois da mudança na direção estadual, poderá ainda neste primeiro semestre deixar o barco governista.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

PARTIDO VERDE

· Recebemos em primeira mão a informação que PV em  Moc deverá passar por reestruturação. As mudanças somente não ocorreram porque a nova direção estadual ainda não tomou posse. Num primeiro momento não se fala em nomes, mas sim numa mudança de rumo. De acordo com informações colhidas em Belo Horizonte, o PV montes-clarense, deverá caminhar em via própria, sem ligação com qualquer grupo político.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

REESTRUTURAÇÃO ADMINISTRATIVA

· Pelo visto o presidente da câmara municipal, Cori Ribeiro, deverá marcar um gol de placa, tão logo consiga concluir o projeto de reestruturação e modernização. O mais interessante é que coube aos próprios funcionários da casa, o levantamento dos problemas, das demandas e a apresentação das soluções. No dia 18 deste mês o trabalho será concluído e repassado ao dirigente maior do legislativo municipal. Como servidor municipal, estamos felizes em poder colaborar para a melhoria do trabalho que prestamos à população.

. . . . . . . . . . . . . . . . . .

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

· Estamos assistindo diversas opiniões em relação à decisão do prefeito Athos em enfrentar a população para discutir a aplicação dos recursos que são arrecadados pelo município. Mesmo entendendo que a proposta deveria ter sido implantada no início do governo, achamos acima de tudo válida. A única coisa que nos preocupa é se de fato as cinco principais propostas de cada região serão implementadas. É que uma falsa expectativa poderá complicar ainda mais a situação da administração junto à população.  Seria interessante, por exemplo, a informação sobre a existência ou não de recursos para garantir as obras.

Publicidade
Publicidade
Comentários