Novo supermercado

Preto no Branco / 06/04/2021 - 00h59

Mais uma vez a coluna sai na frente e traz informação de que ainda este ano deverá ser inaugurado o primeiro atacarejo do Grupo Carrefour em Montes Claros. Trata-se do Supermercado Assaí Atacadista, que conta com 184 lojas pelo Brasil, em 22 estados e Distrito Federal. Nos últimos seis anos, o grupo teve um crescimento de 28,3% ao ano, tendo inaugurado 107 lojas neste período. O novo supermercado será instalado no chamado “Trevo da Siom”, onde hoje funciona a Montes Claros Diesel, concessionária Mercedes Benz. O acerto já foi feito entre a direção do Assaí e o empresário Jayro Lessa, proprietário do imóvel, que necessitará apenas passar por adaptação.

Concessionária continua
Informação apurada pela coluna dá conta de que o ex-deputado estadual Jayro Lessa, proprietário do Grupo VDL, que é formado por empresas de diversos setores (revendedora de veículos, indústria têxtil, siderúrgica, fundição, dentre outras) é o responsável pela concessionária Mercedes em Montes Claros, sendo proprietário do terreno que foi alugado para o Grupo Carrefour, que inclui o Atacadista Assaí. Ele definiu que não fechará a concessionária no município, mas irá transferir a estrutura para outro local, que ainda não foi divulgado.
 
América Vôlei
Alheia à participação tímida, quase insignificante, por parte do poder público municipal, a equipe do América Vôlei, que representou bem Montes Claros na Superliga este ano, não tem a pretensão de abandonar o projeto. O gestor do projeto, Andrey Souza, informou à coluna que os jogadores foram liberados, mas a convocação deve acontecer em meados de julho, dependendo do quadro sanitário. O certo é que a equipe está confirmada na próxima temporada nacional.
 
Fechamento de cadeias
Várias cadeias em Minas Gerais, e o Norte de Minas não foge à regra, estão sendo fechadas por determinação do secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado, Rogério Greco. Como justificativa, ele apresenta dois fatores. O primeiro seria por medida de economia, já que tem cadeias funcionando quase na ociosidade. Entretanto, o principal motivo seria a falta de policial penal para atender a demanda. Hoje, o número é praticamente a metade da necessidade, e até agora não existe nenhuma previsão de realização de concurso.
 
Socorro para o comércio
Sem fazer qualquer tipo de juízo de valor do certo ou errado, entendo que as medidas radicais que estão sendo adotadas para o enfrentamento da Covid-19 vêm causando uma quebradeira geral no comércio. Apenas os setores considerados essenciais, e que estão funcionando normalmente, é que conseguirão sobreviver e passar para a próxima etapa sem sequela. A este respeito, basta andar pelas ruas centrais da cidade e perceberá as dezenas de pontos comerciais que foram fechados de um ano para cá e que estão sendo oferecidos para aluguel.

Publicidade
Publicidade
Comentários