Novela Cisrun

Preto no Branco / 12/02/2021 - 00h11

Quem imaginou que a novela Cisrun (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas) chegou ao seu capítulo final, se enganou. Depois de a Justiça ter anulado a eleição, apontando irregularidades e determinando a posse na presidência do médico Norberto Marcelino, a diretoria do consórcio apelou ao TJMG, contestando a decisão de 1ª instância. Por outro lado, outros processos deram entrada denunciando irregularidades. O próximo capítulo da história vem sendo protagonizado pelo prefeito de Francisco Sá, Mário Osvaldo Casasanta, que protocolou no Cisrun pedido de apresentação do extrato do mês de janeiro. É que por ocasião das eleições da entidade, em 1º de fevereiro, foi apresentada a relação de 19 prefeituras que supostamente teriam quitado débitos atrasados. Caso o pedido não seja atendido, o fato será questionado judicialmente.

Retorno à Câmara
O suplente de vereador Edmilson Magalhães (Cidadania) retorna à Câmara Municipal de Montes Claros a partir da próxima semana. Desta vez, não como vereador, mas como servidor daquela Casa, na função de secretário da Escola do Legislativo, cujo diretor nomeado é Carlos Frederico Souza e Silva.
 
Capital das farmácias
Não vai demorar muito e o município de Montes Claros receberá o título de Capital Nacional de Farmácias. Hoje, praticamente em cada esquina da cidade tem uma farmácia. Agora mesmo, a coluna sai na frente e traz, com exclusividade, a informação de que diretores do Grupo Araújo estiveram nesta semana em Montes Claros, quando decidiram pela abertura de cinco drogarias no município. A princípio, a proposta é a de que duas delas deverão ser inauguradas ainda neste primeiro semestre.
 
Filho bonito
A história de que “quando o filho é bonito todo mundo quer ser pai da criança” se enquadra muito bem no anúncio de que, na negociação com a Vale pela tragédia de Brumadinho, o governador Zema (Novo) destinou parte dos recursos para a construção de três pontes sobre o rio São Francisco, no Norte de Minas (Matias Cardoso/Manga, Ubaí/São Romão, São Francisco/Pintópolis). Deputados, inclusive que se opõem ao governo, estão se declarando pai da criança.
 
Fura Fila
Seria trágico se não fosse cômico a decisão da Prefeitura de Montes Claros de publicar a formação de uma comissão, composta por funcionários da Secretaria de Saúde, para fiscalizar se alguém está furando a fila de vacinação da Covid-19. A comissão já começa sob suspeita, uma vez que houve denúncias de que funcionários ligados ao setor de saúde que não se enquadram na prioridade foram vacinados. O correto seria a formação de uma comissão neutra para fiscalizar as próprias ações de servidores municipais.

Publicidade
Publicidade
Comentários