Mudança no Idene

Preto no Branco / 19/10/2021 - 00h59

Lideranças do Norte de Minas foram surpreendidas nesse fim de semana, com a publicação de ato de exoneração do diretor-geral do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), Nilson Borges. O mais triste em toda história foi a falta de respeito do Governo para com o servidor que foi afastado do cargo sem qualquer tipo de explicação. Ele só tomou conhecimento do assunto na sexta-feira (15), véspera da publicação do ato. Fiz questão de buscar uma justiça junto a Nilson Borges, que se limitou a dizer que “ foi apenas decisão de Governo e não deram detalhes”.

Novo diretor-geral
Desde quando foi criado, o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais ( Idene) sempre teve à sua frente um norte-mineiro, por ser o órgão genuinamente regional. Até a semana passada, o Instituto vinha sendo dirigido pelo bocaiuvense Nilson Borges. Agora a coluna recebe a informação de que o novo diretor-geral, conforme ato publicado no sábado, é Carlos Alexandre Gonçalves da Silva, que seria natural de Belo Horizonte e a princípio não teria maiores ligações com a região. A este respeito, preferimos não fazer juízo de valor, mas esperamos uma explicação tanto do Governo do Estado, como dos deputados que representam a região.
 
Dossiê Idene
A demissão do diretor-geral do Idene, Nilson Borges, alertou este jornalista para a cobrança de resultado de dossiê que teria sido feito no órgão, tão logo o Governador Zema assumiu. Antes dos levantamentos foram ventiladas uma série de irregularidades, o que até o presente momento não foram apresentadas. Aliás, o governador Zema levantou várias suspeitas em relação a administração do Governo Pimentel, mas até hoje não apresentou fatos concretos. A impressão é de que tá tudo certo.
 
Call Center
Em meio à crise do desemprego no país, tem chamado a atenção deste jornalista a alta rotatividade de trabalhadores nos Call Center. Montes Claros não foge à regra. Constantemente estes setores estão divulgando publicidade oferecendo oportunidade de trabalho. O número de demissões segue o mesmo ritmo. A impressão que fica é de que nestes locais, os servidores não se sentem confortáveis e trabalham sob pressão. O certo é que algo fora da curva esteja acontecendo.
 
Deputado e assessores
O correto dentro do mundo político é que assessores de deputados estejam afinados com eles em relação ao posicionamento político. Aqui pelas bandas do Norte de Minas, estamos assistindo parlamentar pregando posição política nas redes sociais, enquanto assessores usam o mesmo espaço para manifestar posicionamento contrário. Ou o deputado divulga o que não acredita ou não tem controle sobre as pessoas lotadas em seu gabinete.

Publicidade
Publicidade
Comentários