Hipocrisia da lei

Preto no Branco / 18/08/2020 - 06h07

Tomando como base a realidade de hoje, o TSE precisa rever a Legislação Eleitoral, em especial as recomendações para as eleições deste ano. Um exemplo é a que proíbe o pré-candidato de pedir voto, mas permite apresentar um programa de trabalho e anunciar que pretende enfrentar as urnas. Eu desafio alguém a apontar um pré-candidato, principalmente na disputa proporcional, que não tenha pedido voto abertamente ao eleitor. Na prática, estes estão evitando somente pedir votos nas redes sociais, já que ficariam expostos às penalidade da legislação. Aliás, todos os envolvidos no processo sabem o que determina a lei e o que acontece na prática.

 Mudanças na imprensa
Com o crescimento das mídias sociais, já sabíamos que a estrutura e o formato da imprensa nacional sofreriam mudanças profundas. O que não acreditávamos é que isto aconteceria tão rapidamente. Muitos acreditam que a pandemia da Covid-19 tenha acelerado o processo. O resultado é que tanto os jornais impressos como as revistas estão migrando para a internet. Além das dificuldades de logística para fazer o material chegar ao leitor, a queda brusca nos patrocínios (propagandas) foi a principal responsável. Os empresários não estão mais vendo nos impressos perspectivas de resultado. Em Montes Claros, por exemplo, os principais jornais do país já não estão chegando mais. O mesmo vem acontecendo com as principais revistas, que desde o início da pandemia, pararam de chegar às bancas.
 
Crise no comércio
Apesar de não estar sendo divulgado, a todo instante, estamos assistindo o fechamento de estabelecimentos comerciais, principalmente na área central de Montes Claros. O interessante é que tem atingido todos os setores. Agora mesmo, recebemos informação de que um dos comércios mais frequentados na região da Praça da Matriz, início do “quarteirão do povo”, cujos produtos são vendidos a um real, já anuncia o fechamento ou transferência para outra pessoa.
 
Amams
Importante a decisão do Ministério da Saúde que, acatando pedido da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), fará uma videoconferência com todos os prefeitos do Brasil, para orientar sobre como aplicar os recursos liberados pelo Governo Federal para o enfrentamento da Covid-19. O secretário-executivo da Amams, Ronaldo Soares, representando o presidente da entidade, Lara Cordeiro, esteve reunido com a secretária de Gestão do Ministério, quando apresentou queixa de diversos prefeitos de que os recursos estão parados nas contas, por falta de orientações de como aplicar as verbas.
 
Curiosidade
Hoje ficou impossível navegar nas redes sociais sem se deparar com as palavras Coronavírus e Live. As dúvidas ficam por conta do conteúdo das informações.

Publicidade
Publicidade
Comentários