Festas clandestinas

Preto no Branco / 27/04/2021 - 00h43

Torna-se necessário que o país tenha leis específicas para vigorarem em época de pandemia e que sejam capaz de frear as ações dos que afrontam as medidas sanitárias de enfrentamento ao vírus. No caso específico dos responsáveis pela realização de festas clandestinas, uma das formas seria de perder benefícios do governo, de participar de concurso público, inscrição em vestibular de universidades públicas, cancelamento de passaporte, prisão por tempo determinado, com pagamento de fiança quando da soltura.

Privatização dos Correios
A expectativa em Brasília é a de que ainda neste primeiro semestre a Câmara consiga iniciar discussão e votação do Projeto de Lei 591/21, que autoriza a privatização dos Correios. O presidente Arthur Lira colocou a matéria em regime de urgência. Sobre este assunto, vale lembrar que o sucateamento da empresa e a falta de material humano chegaram a tal ponto que hoje o serviço tem avaliação negativa da população. A expectativa é a de que a privatização possa contribuir para melhoria e barateamento do serviço.
 
Bico vermelho
Mesmo depois de ter mostrado a sua nova plumagem, o PSDB paulista, também conhecido como tucano do bico vermelho, alimenta a esperança de que conseguirá lançar candidatura à presidência da República com chances reais de vitória. O governador Dória já declarou que disputará as prévias para ser o candidato. Por outro lado, o eterno candidato, Geraldo Alckmin, também alimenta o mesmo pensamento e pode, inclusive, aceitar o convite do PSL e mudar de partido. A situação mais complicada é a do atual governador paulista, que perdeu o apoio da direita e não tem voto na esquerda.
 
PSL na disputa
Como é certo que Bolsonaro buscará abrigo em outra agremiação para disputar a reeleição, o PSL, que conta com expressiva cota do Fundo Eleitoral, tenta a todo custo encontrar um candidato para disputar a majoritária. A este respeito, mesmo não tendo bola de cristal, é possível antecipar que a agremiação tende a encolher após o pleito de 2022. A fuga de deputados, quando da abertura da janela, é tida como certa.
 
CPI da Covid
Em Brasília, a informação que circula nos corredores da política é a de que os próprios autores da CPI da Covid, depois que as investigações foram ampliadas para governadores e prefeitos, estão na torcida para que as apurações fiquem pelo meio do caminho. É que a proposta perdeu o objetivo dos proponentes, que é atingir o presidente Jair Bolsonaro. Estão antecipando a conclusão de que “o tiro poderá sair pela culatra”.

Publicidade
Publicidade
Comentários