Eleição na OAB

Preto no Branco / 01/05/2021 - 00h56

Apesar de a eleição da nova direção da OAB de Minas Gerais estar prevista para novembro, até agora o quadro do que possa acontecer ainda não ficou bem claro. É praticamente certo que o atual presidente, Raimundo Cândido Júnior, desista de colocar o seu nome na disputa. O provável substituto seria o ex-presidente Luiz Cláudio Chaves, que também não decidiu sobre a questão, uma vez que existem vários apelos para que venha fazer parte de chapa na disputa nacional, onde o atual presidente, Felipe Santa Cruz, tem o seu nome reprovado por toda classe, por misturar questões pessoais, ideologia política com o interesse da categoria. Ainda em Minas, também não está descartada a possibilidade de união em busca de um nome de consenso, que inclusive poderá ser do advogado Sérgio Leonardo, que disputou a direção na última eleição.

OAB Moc
A novidade nas eleições para a nova direção da OAB em Montes Claros deverá ser a união da ala feminina dos advogados para disputar com nome indicado pela atual diretoria, que tem como presidente Andre Crisóstomo Fernandes. É praticamente certo que o nome da situação seja do atual vice-presidente, Hebert Alcantara. Pela oposição, a informação que chega à coluna é a de que a chapa vem sendo articulada pela advogada Elza Messias. A princípio, ainda não é possível fazer uma leitura do que pode acontecer, o que somente saberemos quando as duas chapas forem formadas.
 
Justiça contra a justiça
Vários dos posicionamentos do Supremo Tribunal Federal (STF), principalmente na queda de braço com o governo federal, ou na análise de condenação de políticos, têm atingido não somente a sua credibilidade, mas também da Justiça de primeira e segunda instâncias. A falta de sintonia na análise das leis vem criando um descontentamento geral no mundo jurídico.
 
Émerson Federal
Quem também já definiu que será candidato em 2022 é o médico oftalmologista Émerson Guimarães (PV), que foi um dos candidatos a prefeito em Montes Claros nas eleições de 2020. Ele já busca aliança com candidatos a deputado estadual da região, inclusive de Montes Claros. O certo é que terá que buscar caminho próprio em outras cidades do Estado, especialmente no Norte de Minas.
 
Investimentos na região
Uma sugestão que deveria ser abraçada pelas entidades de classe que defendem o combate a candidatos paraquedistas é o levantamento de quanto em recursos de emendas deputados de outras regiões, votados no Norte de Minas, aplicaram por aqui e em suas regiões. Sou de opinião que do bolo das emendas certamente a região só recebe o farelo.

Publicidade
Publicidade
Comentários