Efeito Covid-19

Preto no Branco / 29/07/2020 - 00h35
Vira e mexe, tem representantes de segmentos da sociedade de Montes Claros procurando a Câmara de Vereadores para pedir interferência junto ao Executivo, no sentido de mudança em trecho de decreto sanitário de combate à Covid-19. Fica claro que tanto a direção do Executivo quanto o Comitê de Enfrentamento à Pandemia são irredutíveis em suas decisões e que procurar auxílio externo acaba sendo uma perda de tempo. Entendo que o referido comitê deveria abrir um canal para ouvir os apelos e os argumentos da sociedade. É fato que temos que aliar as medidas de combate à pandemia com as medidas de sobrevivência do próprio comércio.
 
Fundo eleitoral
Temos recebido, de forma constante, pedido de informação de candidatos sobre o fundo eleitoral. Na prática, estão acreditando que serão contemplados com tal recurso. A este respeito temos insistido com os pretensos candidatos que enfrentar as urnas sem a mínima estrutura necessária, acreditando que irá receber dinheiro de partido, é um sonho que não será efetivado na prática. Primeiro, que o dinheiro não é suficiente para atender todos os diretórios e comissões provisórias no país. Como o recurso é de responsabilidade dos Diretórios Nacionais, estes é que estabelecerão critérios, baseados principalmente em chances de eleição e de crescimento da agremiação, visando o pleito de 2022. De mais a mais, a prioridade é de quem vai para a disputa majoritária.
 
Francisco Sá
Em Francisco Sá, vem engrossando a fileira de lideranças políticas da oposição em apoio à candidatura do administrador e servidor público Mauro David. A linha de frente vem sendo composta principalmente pelos ex-prefeitos. Um fato interessante que ocorreu nesta semana foi a reunião do pré-candidato com os ex-prefeitos Antônio Dias, José Mário Pena e com o deputado estadual Arlen Santiago. A novidade é que, naquele município, Arlen (PTB) e Gil Pereira (PSD) estarão no mesmo barco. O adversário a ser batido é o atual prefeito, Mário Osvaldo Casasanta.
 
Verdade da Covid
É normal a divergência de opinião com relação ao enfrentamento da Covid-19. Ainda não existe um consenso se as medidas deveriam acontecer na vertical ou na horizontal. Infelizmente, somente após a pandemia é que saberemos onde estava a verdade dos procedimentos adotados e as divergências entre as três esferas de poder (Executivo, Legislativo e Judiciário). Aliás, fica evidente que a palavra final de todas as medidas tem sido do Judiciário e do Ministério Público.
 
Caixa fora
Fica claro que, até o momento, a Caixa Econômica Federal não conseguiu se preparar para atender a demanda nesta época da Covid-19. Clientes estão deixando de cumprir os compromissos devido à dificuldade de serem atendidos.
Publicidade
Publicidade
Comentários