Brincando de candidatura

Preto no Branco / 06/01/2022 - 00h44

Estamos assistindo na região lideranças, sem o capital eleitoral suficiente, manifestando interesse em disputar as eleições deste ano. Certamente não estão levando em consideração pontos da nova regra eleitoral, a exemplo da exigência do candidato atingir o mínimo de 10% do quociente eleitoral para entrar na disputa. Hoje seria necessário em torno de 30 mil votos para credenciar.

Fim da Unopar
O ex-vereador e empresário no ramo de educação Kiko Canela, que foi o responsável pela chegada da Unopar no Norte de Minas, está fechando o seu ciclo com a universidade. É que a nova política do grupo vai contra seu projeto educacional e empresarial. Para se ter ideia, o curso de agora pra frente não contará mais com orientadores na sala de aula.
 
Educar Brasil
Ainda neste primeiro semestre, o empresário Kiko Canela, que está deixando a Unopar, será o responsável pela representação, em Minas, do Super Educar Brasil, que contará com cursos EAD como também presencial.
 
Democracia representativa
A movimentação das lideranças políticas visando as eleições deste ano permitirá que o eleitor conclua de forma clara que o lado ideológico é apenas uma fachada para a permanência no poder. É a troca do lado ideológico pela conservação do mandato. É falsa a ideia de que agem em defesa da população. O resultado é que não existe o que chamam de democracia representativa.
 
Análise de decretos
Desde que surgiu a pandemia da Covid-19, temos assistido prefeitos publicarem decretos que são verdadeiros absurdos, inclusive interferindo na vida das pessoas, principalmente no que se refere ao livre arbítrio e liberdade de ir e vir. O triste em toda história é que os vereadores assistem a tudo sem se manifestarem. O que poucos leitores têm conhecimento é de que é também prerrogativa das câmaras municipais a análise dos decretos, inclusive derrotando se entender que é contrário aos interesses da maioria da população. Aliás, até hoje não vi falar que alguma câmara do Norte de Minas teria analisado decreto de prefeito.
 
Eleitor avestruz
Para que haja a verdadeira democracia é necessário a participação do eleitor, que deve sempre questionar e não aceitar, sem analisar, a opinião alheia. Infelizmente, hoje a maioria dos eleitores é o que podemos chamar de avestruz: enfia a cabeça na terra e não quer saber o que está acontecendo na política brasileira. Se limitam a seguirem opinião alheia.

Publicidade
Publicidade
Comentários