Avaliação Solidariedade

Preto no Branco / 21/10/2020 - 00h59

Concluindo a avaliação das chances de partidos e candidatos na proporcional em Montes Claros, temos a situação do Solidariedade, que disputa com 28 candidatos, sendo 19 homens e nove mulheres. A agremiação trabalha para tentar emplacar um dos nomes. A disputa direta está entre Odair Ceanorte e Eduardo Lula.

PSD
O PSD em Montes Claros vai para a disputa na proporcional com chapa completa (24 homens e 11 mulheres), com possibilidade de eleger dois candidatos direto. A previsão de quem será eleito é imprevisível devido ao equilíbrio entre os candidatos. A princípio, o vereador Soter Magno, pela visibilidade, e está concorrendo no poder, leva vantagem. A disputa acirrada ficará por conta de Bispo Edmilson, Odair Samambaia, Ramon Guimarães, Karol Figueiredo, Joaquim da Vila Telma e João de Deus.
 
PV
Na disputa proporcional em Montes Claros, o PV, que tem o médico Émerson Guimarães na disputa majoritária, conta com 31 candidatos, sendo 20 homens e 11 mulheres. A agremiação tem chance de eleger um candidato. Na disputa está Lidnalva, Edson Pereira e Maurício Magazine.
 
PMB
Na disputa por uma vaga na Câmara de Montes Claros, o PMB apresenta chapa com 30 candidatos, sendo 20 homens e dez mulheres. A agremiação terá dificuldade na eleição direta. Entre os nomes colocados, no momento a chance maior estaria com Aurélio Vidal.
 
PC do B
Na busca por uma cadeira na Câmara de Montes Claros, o PC do B apresenta chapa com 35 candidatos, sendo 24 homens e 11 mulheres. Apesar de chapa completa, a luta é eleger um candidato direto. Na disputa, além do vereador Daniel Dias, está Indião do Morro, MC Jair do Independência e Cláudio Gente Humilde.
 
Derrota à vista
Por questões éticas, não tenho como expor o desenho político envolvendo a Câmara de Montes Claros. Como servidor daquela Casa, tanto a crítica como elogio podem ser entendidas como opinião contaminada. O certo é que, sem citar nomes, posso adiantar que entre os integrantes do Legislativo, dois dos atuais vereadores, tidos entre os mais votados, caminham para ficar no meio da estrada. É esperar e cobrar.
 
Filho preferido
Pregar que nos partidos políticos os candidatos na disputa proporcional são tratados de forma linear é querer esconder uma verdade cristalina: todos os partidos escolhem o filho preferido, baseado na expectativa de voto. Nos bastidores, toda estrutura é destinada a quem tem chance de eleição.

Publicidade
Publicidade
Comentários