Auxílio gás

Preto no Branco / 09/11/2021 - 00h58

Não sei se considero uma afronta ou uma forma de subestimar a inteligência do eleitor quando assistimos agentes políticos, de forma especial deputados, usarem as redes sociais e órgãos de imprensa, que recebem pelas divulgações, advogar para si ações dos governos estadual e federal. Na semana passada, assistimos na mídia a um deputado federal, oposição ao governo federal, se manifestar sobre o auxílio gás, como se fosse o autor ou proponente do benefício. A publicação aconteceu sem qualquer questionamento. Os motivos todos nós sabemos.

Ação em Varginha
A exemplo de setores da chamada imprensa militante, acabei por um lapso comentando sobre a ação no município de Varginha, usando o termo chacina. Na verdade, a ação policial foi legítima e necessária e em guerra não há chacina, mas combate ao inimigo. Se morreram todos eles e nenhum policial, só temos motivos de júbilos e que seja sempre assim. As vidas daqueles que se compram no mal não vale uma única dos que se entregam à defesa do bem e da ordem.
 
A arte da Covid
Do que valem as manifestações realizadas quando da morte do mestre Zanza, símbolo da nossa cultura, em que representantes do poder público municipal foram para televisão demonstrar consternação com o acontecido, quando na prática não mostram este mesmo sentimento pela cultura. Um exemplo claro é o que insistem em fazer com os artesãos das feirinhas, que continuam impedidos de venderem seus produtos.
 
Deputados paraquedistas
Entidades de classe e diversos outros segmentos da sociedade do Norte de Minas não têm o direito de ficar reclamando ou criticando a atuação da classe política em favor da região. O retrato futuro é que continuaremos aceitando e aplaudindo as ações de deputados paraquedistas, que gastam o grosso de suas emendas em suas regiões e destinam para cá apenas “o farelo do bolo”. É triste constatar que no orçamento deste ano cada deputado federal teve direito a R$ 16,3 milhões de emendas individuais e nossas lideranças festejam e entregam os votos do município por um simples maquinário agrícola, um veículo ou alguns metros de cano. 
 
Raquel Muniz
Tenho tido o cuidado de analisar a movimentação política e dos políticos dentro de uma visão técnica, sem qualquer viés ou paixão política. Um dos nomes que sempre surge nas discussões políticas tem sido o da ex-deputada federal Raquel Muniz, que a exemplo de outros políticos é amada por uns e contestada por outros. Independentemente da opinião deste ou daquele eleitor, o certo é que a parlamentar é avaliada pela maioria das lideranças da região como uma das mais atuantes do Norte de Minas nos últimos 15 anos. Se alguma atitude ou direção não agrada esta ou aquela pessoa, temos que respeitar, mas sem deixar de reconhecer que Raquel, de fato, quando no exercício parlamentar, abraçou nacionalmente a bandeira do Norte de Minas.

Publicidade
Publicidade
Comentários