Auditoria no Dnocs

Preto no Branco / 07/08/2020 - 00h59

O coordenador Estadual do Dnocs em Minas Gerais, Rogério Evangelista, solicitou à direção nacional do órgão a realização de auditoria no escritório de Montes Claros. Os levantamentos começaram a ser realizados e a expectativa é a de que nos próximos dois meses sejam concluídos. 

Ceanorte
Informação colhida junto a setor de segurança do Estado dá conta de que, baseado em denúncias de produtores que abastecem o Ceanorte em Montes Claros, será realizada investigação para combater roubo e ameaças que estariam acontecendo naquele logradouro.

Biometrização
A todo instante a Justiça Eleitoral apresenta um posicionamento em relação às eleições municipais deste ano, confundido ainda mais o eleitorado. Agora mesmo, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, comentou que mesmo sem a biometria nas eleições de 2020, eleitores que perderam o prazo para o cadastramento neste ano não poderão ir às urnas. Vale lembrar que a biometria foi retirada do pleito por conta do risco de contaminação pela Covid-19.

Quociente eleitoral
Com as normas do TSE, em decorrência da pandemia da Covid-19, a perspectiva é a de que diminua o quociente eleitoral. O número de abstenção deverá ser bem superior aos pleitos anteriores.

Candidatura de fachada
Um fato que deve acontecer nas eleições municipais deste ano em Montes Claros é a apresentação de candidatos na majoritária, cujo perfil não traz qualquer perspectiva de boa votação. Na prática, o objetivo é o de permitir que candidatos a vereador naveguem na embarcação de outros candidatos sem se comprometer. Como fidelidade partidária está, na prática, em desuso, assistiremos partido político com candidato a prefeito, hasteando bandeira em outro terreiro, inclusive partido da esquerda.

Candidato de movimentos
Com as limitações impostas pela pandemia da Covid-19, entre os candidatos na disputa proporcional, os mais prejudicados serão aqueles que historicamente trabalham com movimentos sociais. A dificuldade de reuniões e mobilização dos grupos irá pesar, sobremaneira, no resultado final das urnas. 

Entidade de classe
Nas eleições municipais de 2016, entidades de classe ligadas ao comércio, indústria e a agropecuária optaram por participar diretamente das eleições municipais em Montes Claros. Como resultado, vários dos seus dirigentes acabaram assumindo cargos importantes dentro da administração. Para o pleito deste ano, o desenho é o de que as atuais diretorias dessas entidades participem do processo sem hastear bandeira em seus territórios. Um fato interessante é que nenhum destes segmentos lançou, ou emplacou, um nome na Câmara Municipal. Aliás, o momento é propício para testar a força destas entidades.
 

Publicidade
Publicidade
Comentários