Anastasia à deriva

Preto no Branco / 31/08/2021 - 00h57

No início de 2020, o senador Anastasia, depois de 15 anos nas fileiras do PSDB, decidiu deixar a agremiação por não se sentir à vontade para tocar o seu projeto político. Foi buscar abrigo no PSD, acreditando que ali poderia navegar em águas calmas. Hoje, com pouco mais de um ano no partido, está chegando à conclusão de que não fez um bom negócio. É que o partido tende a caminhar nas eleições de 2022 com partidos e candidatos contrários ao que ele pensa. Para piorar, o senador percebe que não terá espaço para emplacar a sua candidatura à reeleição, já que a tendência é o apoio ao presidente do PSD em Minas, Alexandre Silveira.

Hipocrisia política
A hipocrisia que hoje toma conta da política brasileira chega a enojar a população, que tem procurado se afastar do cenário, justamente em decorrência de atitudes e propostas medíocres. Agora mesmo, numa atitude rasteira, a Câmara Federal discute, dentro da Reforma Eleitoral, proposta denominada de quarentena para militares, integrantes do Ministério Público e juízes, no qual permite que integrantes destas instituições somente poderão ser candidatos depois de cinco anos afastados de suas funções. Trata-se de ditadura política, onde retira da população o direito de escolher seus representantes “a tempo e a hora”.
 
Propaganda antecipada
A exemplo do que querem impor para juízes, promotores e militares, também considero uma aberração a lei que vigora no país, proibindo que o cidadão manifeste antes do dia 5 de julho do ano que ocorre a eleição que é candidato e peça o apoio ao eleitor. Ao contrário, seria uma forma de permitir que o eleitor tenha tempo de investigar a vida do político que pretende participar da disputa. Na verdade, a lei foi feita para contemplar quem está no exercício do mandato e vai para a reeleição. É preciso entender que o eleitor tem capacidade suficiente para saber o que quer e para escolher seu representante.
 
Jornalistas militantes
Com o acirramento das discussões políticas no país, vários jornalistas vêm sendo desmascarados diante da opinião pública, taxados de jornalistas militantes. A não ser que o profissional esteja a serviço de um político ou partido, as suas ações devem obedecer critérios eminentemente técnicos. É a forma correta de mostrar o respeito pelo ouvinte, leitor, ou telespectador.
 
Futebol e piscina
Não sou epidemiologista e nem tenho conhecimento dos critérios utilizados para definir as medidas sanitárias de enfrentamento a Covid-19. Entretanto, existem alguns critérios que não consigo entender. Um exemplo claro é a prefeitura liberar o jogo de futebol que é uma atividade de contato e proibir o uso de piscinas que obedecem medidas sanitárias e onde não existe contato entre as pessoas.

Publicidade
Publicidade
Comentários