Acorda Norte de Minas

Preto no Branco / 02/10/2021 - 00h26

Tenho alertado a população da região quanto à necessidade de trabalharmos em função de melhorarmos a nossa representação no Congresso Nacional. Diante de interesses de lideranças e omissão da população, a missão não tem sido nada fácil. No momento em que aceitamos a imposição de candidaturas ao Senado ou à Câmara Federal de nomes de outras regiões do Estado, abrimos mão da representatividade legítima do Norte de Minas. Só ama a terra quem nela vive, quem nela trabalha. Desta forma, não podemos acreditar que um parlamentar de regiões ricas do Estado se compadeça das nossas necessidades. Estes, continuarão apenas alimentando nossa gente com sobras de emendas, suficientes apenas para manter o chamado “curral eleitoral”. Acorda, Norte de Minas!
 
Polícias Militar e Civil
As instituições de segurança do Estado comemoram dados divulgados pelo Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), que apontam ser Minas Gerais o Estado mais seguro de todo o país em 2021. Os dados são referentes aos meses de janeiro a maio.
 
Viagens de Zema
Chamou atenção deste jornalista notícia divulgada em jornal da capital, dando conta de que o governador Zema (Novo) usou a aeronave oficial de janeiro a agosto deste ano 69 vezes. A matéria, em nenhum momento, explicou as razões da movimentação para justificar a crítica. A este respeito, entendo que se o chefe do Executivo permanecesse na capital durante este período, seria criticado por não visitar as diversas regiões de Minas e nem ir em busca de recursos para o Estado. De qualquer forma, todos nós sabemos que ele é candidato à reeleição e jamais perderia a oportunidade da movimentação.
 
Votação mínima
Até mesmo os juristas e analistas políticos ainda têm encontrado dificuldades em analisar os pormenores da reforma eleitoral votada recentemente pela Câmara Federal e pelo Senado, restando somente ser sancionada pelo presidente Bolsonaro. Um dos pontos que chama atenção é a exigência do candidato ao cargo proporcional ser obrigado a obter o mínimo de 20% do quociente eleitoral para entrar na distribuição da sobra. Vale lembrar que nas eleições de 2020, em Montes Claros, 14 vereadores foram eleitos diretamente e nove, na sobra.
 
Esvaziamento do PDT
Desde o início do ano tenho comentado que quando da abertura da janela para transferência de candidatos, período que antecede as convenções, haverá um esvaziamento natural do PDT em Minas, em decorrência da falta de alinhamento com a direção nacional. De forma natural, com o fim da coligação proporcional, o partido já terá dificuldade de montar chapa. Para complicar, o alinhamento com a esquerda no Estado e na União é outro complicador.

Publicidade
Publicidade
Comentários