Abandonou o PT

Preto no Branco / 29/08/2020 - 00h01

Chega ao fim o casamento entre o PT do deputado federal Paulo Guedes e o prefeito de Porteirinha, Silvanei Batista (PSB), que decidiu indicar o vereador Hermínio Martins (PSB) como candidato a prefeito do grupo, e inclusive negar aos petistas a indicação do candidato a vice. Ontem, um integrante da cúpula petista fez o seguinte comentário: o prefeito desdenhou o partido que o elegeu duas vezes. Lembrou ainda que Silvanei foi eleito e reeleito presidente do Cisrun Macro Norte (Samu) justamente graças ao apoio e à articulação do deputado Paulo Guedes.

Dobradinha a vista
Tivemos a informação de que a decisão do prefeito de Porteirinha, Silvanei Batista (PSB), de abandonar a embarcação do PT se deve às suas pretensões de disputar a eleição de 2022. Na região, o comentário é que ele pretende fazer dobradinha com o médico janaubense Anderson Miranda e, desta forma, não haverá mais espaço para apoiar Paulo Guedes (federal) nem Carlos Pimenta (estadual).
 
Candidatos em Porteirinha
Com a decisão do prefeito Silvanei Batista (PSB) de abandonar o PT e Paulo Guedes, as eleições no município terão três candidatos na disputa. Além do vereador Hermínio Martins (PSB), a oposição apresenta como candidato os ex-prefeitos Juracy Freire (PP) e Alonso Reis, que em conversa com este jornalista garantiu que o PT terá candidatura própria.
 
Política social
O candidato a prefeito em Montes Claros que vencer o pleito deste ano terá como uma das missões investir na área social que, até provem ao contrário, foi totalmente abandonada. A falta de uma política social resultou no aumento, assustador, de moradores em situação de rua, que não somente estão nas praças, ruas, avenidas, pontes, prédios públicos, mas transformando estes locais em depósito de entulhos e recicláveis. O resultado tem sido o risco tanto à própria saúde como a da população. O que mais intriga é o setor responsável fazer cara de paisagem, como se estivesse tudo normal.
 
Perdendo tempo
Pré-candidatos às eleições municipais deste ano, em decorrência da pandemia da Covid-19, estão totalmente sem saber por onde começar. As medidas sanitárias que impõem a restrição de reuniões têm levado os postulantes a cargos eletivos a tomarem decisões sem avaliar os custos e os benefícios. Nas eleições anteriores, a estratégia era a realização do maior número de reuniões possíveis. O que apurasse, era lucro. No atual momento, o tempo passa a ser determinante. Reunião e encontro de articulação política devem ser avaliados, só acontecendo se houver previsão de resultado prático.
 
Barragem de Jequitaí
A coluna apura informação de irregularidade que teria ocorrido em obra da barragem do Jequitaí. Na semana divulgaremos resultado.

Publicidade
Publicidade
Comentários