Reviravolta

Plenarinho / 30/03/2018 - 07h36

Depois de quase 10 anos tramitando na Justiça, herdeiros de um grupo empresarial de Montes Claros que tinham ficado de fora das negociações para a venda do negócio para empresário de Belo Horizonte (apenas parte dos herdeiros do primeiro casamento é que participaram) ganharam o direito de atuar e já com autorização para assumirem quase 30% das ações. A decisão pegou de surpresa todo mundo.

Crise
Também a crise tem atingido alguns executivos de empresas tradicionais de Montes Claros. Com salários em torno de R$ 20 mil, mais de uma dezena deles se afastaram motivados por interesses empresariais ou enxugamento da folha, já estão operando em outros setores ou tentando emprego. No ramo de papelaria, por exemplo, a nova política foi adotada com rigor.
 
Sem susto
Ninguém precisa ficar assustado, pois é apenas o começo. O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) gravou um vídeo para Alexandre Frota brincando que quer vê-lo ministro da Cultura. “Se você quer me ver presidente um dia, eu quero te ver ministro da Cultura! Já imaginou, cara?”, disse o pré-candidato aos risos. Frota publicou o vídeo no Twitter e, mais tarde, fez outro post: “Bolsonaro assina a filiação de Alexandre Frota no PSL. Francischini assinou também”. No entanto, a assessoria do partido confirmou à revista “Exame” que se tratava de uma brincadeira. Aliás, brincadeira tem hora...
 
Audiência
Estive conversando com o vereador Wilton Dias durante muito tempo na manhã de quarta-feira. Na oportunidade, discutimos sobre a cidade de Montes Claros e pontuamos alguns itens que concordamos e discordamos. Um deles, a Copasa e a concessão com a prefeitura. Em mãos com a minuta do contrato de concessão, ele provocou uma audiência pública que vai contar com a presença da sociedade como um todo. Afirma que existem itens que necessitam de emendas parlamentares.

Publicidade
Publicidade
Comentários