Eleições

Plenarinho / 24/02/2018 - 01h15

Faltam cerca de oito meses para as eleições ao Governo do Estado, ao Senado, à Câmara Federal e à Assembleia. Uma eleição atípica e não haverá “derrame” de dinheiro, como em outras épocas. Costumo afirmar que quem dava dinheiro para as campanhas está atrás das grades, o que vai dificultar muito para quem tinha esta estratégia para se perpetuar no poder. De qualquer forma, valoriza-se então quem tiver melhor trabalho prestado e, porque não, criatividade. Muitas lideranças do Norte de Minas, com raras exceções, acostumados em vender o voto, agora vão ter que aceitar a pouca grana que vai correr.

 
Profissionalização
Em muitos aspectos, Montes Claros precisa se profissionalizar, pois alguns comportamentos ficam parecendo de cidadezinha do interior. É comum encontrar cartazes de papelão em plena avenida central anunciando vendas de chup-chup, mototáxi, sítio, entre outros. A moralização cabe ao Serviços Urbanos em determinados momentos, e outros, a secretarias afins.
 
PP
O ex-governador de Minas Gerais Alberto Pinto Coelho anunciou desfiliação do Partido Progressista (PP). Decisão ocorre um dia depois de Pinto Coelho ser substituído na presidência da legenda estadual pelo deputado federal Renzo Braz, numa conturbada troca de comando de olho na disputa pelo Palácio da Liberdade. Principal “guru” do deputado Gil Pereira, a decisão vai pesar pra que este dispute o cargo de deputado federal, pois deve seguir o mesmo caminho de Coelho.
 
Quem leva vantagem
Deputados Carlos Pimenta e Arlen Santiago vivem momentos de glória como oposição ao governador Fernando Pimentel. Criticando, mostram nas reuniões dados negativos sobre a economia do Estado e vão, assim, pavimentando a estrada da reeleição. Por outro lado, deputados Paulo Guedes e Tadeuzinho Leite, da situação, trabalham em dobro nas bases usufruindo, é claro, das possíveis facilidades que o governo ofereça. O mais interessante é que o desgaste do governo não tem sido empecilho para o trabalho dos mesmos.
 
Venda casada
Operadora da cidade que presta serviço de internet e TV a cabo está deixando os clientes desesperados. Depois que cancelaram o contrato com o Grupo Bloco, do canal fechado, agora tentam renovar o contrato com menos opções, e ainda por cima tem praticado venda casada, aumentando a velocidade da internet, independentemente da aceitação ou não. Deve ter enxurrada de denúncia ao Procon nos próximos dias.

Publicidade
Publicidade
Comentários