Ajuda em alta

Magnus Medeiros / 11/04/2018 - 16h38

Os seres humanos vivem em sociedade. Corremos o risco de olhar para nós mesmos em excesso porque as pessoas têm o costume de ver somente para o próprio umbigo, quando na realidade não devemos perder de vista o fato de que o bem comum se expressa através da fórmula “nós”. Isto é, você nunca deve sentir indiferença com a dor dos outros porque a empatia que surge do coração nos leva a conectar com o próximo e procurar uma maneira de ajudar. Assim mostra a solidariedade, um valor muito importante para uma sociedade desenvolvida que trabalha de forma constante para defender os direitos dos grupos mais vulneráveis, fazendo frente às injustiças sociais. Madre Teresa de Calcutá sempre afirmava: “Não espere por grandes líderes; faça você mesmo, pessoa a pessoa. Seja leal às ações porque é nelas que está a sua força”. E quando o assunto é “solidariedade”, nossa sociedade sempre se fez presente. Neste mês de abril, teremos as seguintes promoções beneficentes: logo mais à noite, no Villa Garden Eventos, a ONG – Amigos dos Catopês, Marujos e Caboclinhos promove o Fashion Show, com desfile de modas, acessórios e calçados. O convite dará direito a entradas, jantar, finger food e bebidas. Renda também revertida à Fazenda da Solidariedade São Francisco de Assis (frei Valdo). Já no próximo dia 21, na bela Chácara Bugarin, o 21° Baile da Felicidade, evento beneficente do Rotary Club de Montes Claros Leste, comemorando também suas bodas de prata. Na programação, coquetel, jantar completo, bebidas, sobremesa, presença da Banda Conexão WR e Leilão de Arte. 

Reflexão
“Carma tornou-se popular em nosso vocabulário, mas poucos sabem do que estão falando. Geralmente ela vem num sentido negativo, como cruz, punição, fatalidade, vingança dos céus e do destino. Alguns acreditam que é uma dívida de sofrimento, muitos acreditam ser uma expressão de cunho religioso. Mas, na verdade, essa palavra expressa outra coisa. Essa palavra, que até lembra outra mais agradável, aquela que forma o “kama sutra”, vem do sânscrito e expressa uma lei mecânica cruel, justa e certeira, o que vai, volta: lei de causa e efeito. Tudo tem um porquê: nem uma simples folha cai da árvore por acaso”. (Paulo Navarro, jornal “O Tempo”)

Aprendendo
Risco de vida ou risco de morte? A questão mereceu debates calorosos. Uns defendiam risco de vida porque subentendiam o verbo perder (risco de perder a vida). Outros interpretavam o que estava escrito. Risco é perigo. Perigo de vida? Que bom! Consultada, a Academia Brasileira de Letras bancou o Salomão. Disse que ambas as formas merecem nota 10. O freguês escolhe.

Etiqueta
Você quando vai a um restaurante tem o costume de pedir “filé a cavalo?”. Segundo garçom português, o certo será pedir um “filé com ovos a cavalo”. E esclarece: são os ovos que vão “a cavalo” no filé. E pensar que no Brasil, há muitos anos, só se pede “filé a cavalo.” Vivendo e aprendendo.

FIGURAS E FATOS

Festival Solidário
O empresário João Wellington e a Cia Promoções realizam, neste final de semana, o Festival Solidário. Dois dias de muita festa com os melhores artistas do país. Anotem: dia 14 (sábado): Kevinho, Wesley Safadão, Dorgival Dantas. No dia 15 (domingo): Dennis DJ, Gusttavo Lima, Felipe Araújo, Zé Neto e Cristiano e Renato e Rafael. Imperdível!
 
Cursos de medicina
O governo federal vai suspender, por cinco anos, o processo de abertura e criação de novos cursos de medicina no país. A medida foi anunciada no dia 5 deste mês, durante uma reunião entre o presidente Michel Temer e o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), que defendeu a sentença afirmando ter o objetivo de “zelar pela qualidade” das grades curriculares da área. A decisão vale para instituições públicas, federais, estaduais, municipais e privadas.
 
#partiudiversão
Continua alcançando maiúsculo sucesso, na praça de eventos do Montes Claros Shopping, a promoção direcionada para nossa criançada (evento gratuito), cognominado #partiudiversão. Com estrutura de 85 metros quadrados, o evento reúne atividades recreativas dos programas Alvinn!!! e os Esquilos e Miraculous – As Aventuras de Ladybug, do Gloob. A promoção vai até o próximo dia 15, das 15h às 18h. Leve os seus filhos, crianças de 4 a 10 anos, para viverem uma bela e divertida experiência.
 
Eleições & esporte
Seis nomes “fortes” ligados ao esporte devem disputar as eleições 2018. Desta forma, o pleito político brasileiro deste ano deve reunir alguns nomes importantes do setor: Ronaldinho Gaúcho (ex-jogador de futebol, filiado ao PRB; Vanderlei Luxemburgo (treinador), filiado ao PSB; Eduardo Bandeira de Mello (presidente do Flamengo), recém-filiado à Rede; Bernardinho (treinador) pode disputar o governo do estado do Rio (ex-jogador). Atualmente senador, o baixinho deve concorrer ao cargo de governador pelo Rio; Bebeto (ex-jogador), atualmente deputado, o ex-jogador deve integrar a chapa de Romário na disputa do governo. 
 
Remédio ‘detox-política’
A criatividade do brasileiro é indiscutível e não tem limites. Prova disso é o “remédio” que, em ano eleitoral, está sendo oferecido a eleitores em Belo Horizonte, como sendo uma fórmula capaz de “desintoxicar a forma de se fazer política no Brasil”, explica o inventor, Nelmon Costa, 62, um médico veterinário que dissemina “a arte de fazer política sem mandato”. Trata-se de caixas semelhantes às de medicamentos, gravado o nome “Detox-Política – a terapia do voto”. Dentro, uma espécie de bula contendo orientações para o voto em forma de parábola, ou seja, uma narrativa que transmite uma mensagem indireta por meio de comparação ou analogia. Vamos torcer pelo sucesso do milagroso remédio tão aguardado pelos eleitores.
 
Guilherme Pimenta e seu violino dançante
Montes-clarense radicado no Rio de Janeiro, o violinista Guilherme Pimenta, 33, lança seu primeiro trabalho, o EP “Violino na Roda”, com quatro músicas instrumentais, sendo três autorais. No geral, música instrumental dançante. Guilherme reside no Rio desde 2014. Sucesso são os nossos votos!
 
Político antiaderente
Costuma-se atribuir o apelido de teflon ao político que consegue escapar de acusações de falcatruas sem danos graves a sua popularidade. É como se ele fosse coberto pelo material antiaderente das boas frigideiras, fazendo com que as denúncias mais obscenas deslizem com facilidade, em vez de permanecerem coladas a sua imagem. Atualmente, nos telejornais, os exemplos pululam a todo o momento. De leve.
 
Terminando
Na biografia do colunista Zózimo Barroso do Amaral (1941-1997), nos anos 1980, que merece replay: “Enquanto houver champanhe, há esperança. Quem pensa em dinheiro não ganha dinheiro. Hoje quase não há família, só pessoas jurídicas. Novo rico me incomoda muito, mas novíssimo riquíssimo me incomoda muito mais”. E como?

 

Publicidade
Publicidade
Comentários