Calor e muriçocas

Frida e Pagu / 24/08/2021 - 00h02

Em 1897, o desembargador dr. Antônio Augusto Velloso escreveu o magnífico livro “Corografia Mineira - Município de Montes Claros”, no qual fala de alagamentos, água estagnada, proliferação de mosquitos e febres, um avanço na compreensão da transmissão de doenças. A eclosão monumental dos ovos das muriçocas costuma ser na época quente dentro de águas empoçadas e malcheirosas.

As fêmeas do mosquito Aedes aegypti, causadoras da dengue, febre amarela, zika e chikungunya são pragas a serem combatidas. Já as muriçocas não transmitem moléstias, mas povoam as insônias locais. A impossibilidade de dormir nas noites ferventes piora muito com esses insetos, hematófagos do anoitecer e amanhecer, por isso feche as janelas nesses horários.

As telas e o cortinado são imbatíveis em prol do sono tranquilo. Queimava-se estrume de vaca para espantar os mosquitos. Há o repelente espiral antimosquito, a bomba de flit – pulverizadora de inseticidas líquidos e o aerossol, cujo conteúdo tem um gás que impulsiona o produto para fora.

Há muitas marcas de inseticidas e aparelhos. No começo, usava-se uma pomada, depois cartões impregnados de veneno e outros líquidos a serem usados em utensílios elétricos. Afugentam insetos voadores, podendo ser perigosos e devendo ser evitados por asmáticos. Existem repelentes sonoros com ondas ultrassônicas, mas podem não funcionar.

As muriçocas, ao sul pernilongos, ao norte carapanãs, irritam os habitantes com seu zunido na orelha. Tudo já foi utilizado para eliminá-las, desde toalhadas na parede, logo sujas de sangue, que servem de aviso quando se vai dormir num hotel, chineladas, esconder-se debaixo do lençol, até as infalíveis raquetes eletrocutadoras de muriçocas. Inseticidas e repelentes naturais auxiliam no combate.

Como o inseto tem várias fases de desenvolvimento, como ovo, larva, pupa e adulto, as autoridades, para contê-las, precisam agir em todas elas. Começam pelo controle das áreas alagadas, onde a fêmea, única que canta, coloca seus ovos, até o fumacê, nuvem de fumaça com agrotóxico fatal ao inseto adulto.

Antes, quando se fazia caminhada noturna, ao conversar engoliam-se várias muriçocas. Nos dias que correm, o frio está indo embora, mas as muriçocas não têm perturbado. Fiquemos atentos aos cuidados.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários