CNH digital

Redação Tech / 07/09/2017 - 01h11

O novo formato da CNH-e (Carteira de Habilitação eletrônica), que estava disponível apenas em versão de demonstração, foi retirada do ar pela Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados). Quem baixasse o app poderia ver como vai ser a CNH Virtual que, no futuro, valerá como documento oficial. Cancelar a versão demo foi uma medida adotada para evitar dúvidas dos usuários com relação ao ambiente de download fora das lojas oficiais da Apple e Android.

A Serpro havia disponibilizado um arquivo no formato .apk, fora da loja oficial da Google Play. Para usar esse tipo de formato é necessário que o usuário autorize o sistema do smartphone a instalar programas não oficiais. Esse tipo de ação pode ser perigosa, uma vez que aplicativos vindos de fora da loja, são utilizados para contaminar smartphones com vírus. Cibercriminosos tiram vantagem de usuários que tentam conseguir um app de maneira não oficial, geralmente de forma gratuita, para infectar o dispositivo e conseguir obter dados pessoais sensíveis. A chance de cibercriminosos utilizarem ‘apk’ semelhante em nome da Serpro, para contaminar smartphones, era muito grande.

Lançamento
Com isso, a Serpro espera liberar uma versão oficial da CNH-e em 30 de setembro para as plataformas Android e iOS, da Apple. A intenção é que a CNH-e esteja disponível de forma definitiva até 1º de fevereiro de 2018. Segundo o governo, o novo documento terá o mesmo valor jurídico da CNH física.

Por enquanto, quem quiser ver como vai ser o aplicativo da CNH basta acessar o site do Serpro. Utilizar o aplicativo com o documento será opcional e caberá ao condutor escolher se quer ou não. O usuário poderá fazer sua CNH-e pelo smartphone, se tiver certificado digital, ou no Detran de seu Estado.

O app armazenará todas as informações do documento original, como foto e dados do motorista. Será possível, ainda, compartilhar o documento automaticamente para e-mail ou WhatsApp. Com essa novidade não haverá desculpa para quem esquecer o documento em casa, não é mesmo?

 

Publicidade
Publicidade
Comentários