Grão Mogol: um orquidário de pedras

Pilar Literário / 19/02/2021 - 00h01

Grão Mogol é uma cidade no Norte de Minas Gerais com 17 mil habitantes, um clima agradável e chuvas periódicas. Cercada por pedras, numa edificação imponente, que só o Engenheiro por excelência poderia realizar. São pedras angulares bem lavradas e dispostas umas sobre as outras numa engenhosidade ímpar e que traz aos nossos olhos a impressionante riqueza de detalhes do Construtor.

Entre aquelas pedras, um conjunto de originalidade e beleza brotam daqui e dali em profusão ilimitada – as orquídeas: de muitas cores, formatos e tamanhos. São nativas ali num orquidário de pedras, às quais só tem acesso a visão. São nativas ali. 

Mais uma obra das mãos primorosas de Deus. Eu as vi. Quis trazer algumas mudas. Não pude. Não podemos, ninguém pode trazer mudas dali. É crime lançar mão daqueles tesouros ambientais. Ali, é impressionante a preservação do meio ambiente.

Em Grão Mogol há 67 espécies de orquídeas, que são endêmicas – somente Grão Mogol, no mundo inteiro, possui essas espécies. Foi feita em Grão Mogol uma pesquisa pela USP que comprovou esta lídima conclusão. Isso é Grão Mogol, cidade norte-mineira de um povo bom, amigo e hospitaleiro.

Cravada na porção norte da Serra do Espinhaço, Grão Mogol surgiu no século XVIII, por volta de 1780, a partir de descobertas de diamantes.

Foi uma das mais extensas intendências de Minas Gerais. O fluxo de garimpeiro e tropeiro transformou o local como o mais populoso da região Norte de Minas por várias décadas.

Sua história é vinculada à mineração de diamantes, com cenários pitorescos de casarios de pedras, rios, serras e com uma vocação para a arte e a cultura. 

Numa caminhada de três quilômetros pela Trilha do Barão é admirável a grande diversidade de plantas, como as orquídeas já referidas, bromélias, árvores e arbustos do Cerrado: pés de pequi, jatobás, cagaitas, a Caatinga e os cactos.

O Parque Estadual de Grão Mogol foi criado pelo Decreto Estadual nº 39.906 de 22 de setembro de 1998, com a finalidade de proteger a flora, a fauna e as nascentes dos numerosos rios e córregos da região.

“Situada próxima a Montes Claros, em uma das serras da Cordilheira do Espinhaço, Grão Mogol, a 550 km de Belo Horizonte, é a mais setentrional das cidades históricas de Minas Gerais, nascida do garimpo de diamantes. As opções para o esporte e o lazer nos ambientes naturais são variadas, sobretudo ao longo do rio Itacambiraçu: cachoeiras, corredeiras, remansos, praias fluviais, trilhas propícias às caminhadas, ao ciclismo e ao montanhismo (Revista Mundo Fiat/Valério Fabris).

Isso é Minas Gerais: “Quem a conhece não esquece jamais!”

Publicidade
Publicidade
Comentários