Tesouro renegado

Editorial / 08/10/2021 - 00h01

Enquanto alguns países enfrentam muita dificuldade para ter acesso à vacina contra a Covid-19 – a maioria no continente africano –, há quem desdenhe a proteção. Em Montes Claros, o público que mais gosta de aglomeração é o que menos aderiu à imunização contra a doença que ceifou milhares de vidas no país. 

Os jovens de 18 a 29 anos não atenderam ao chamado da prefeitura para se vacinar: é o único público que não bateu a meta de 95% de cobertura vacinal. Segundo a secretária Municipal de Saúde, Dulce Pimenta, apenas 50% desse público procurou os postos de saúde para receber a dose contra o novo coronavírus.

E enquanto não se rendem à proteção, cobram do município maior flexibilização, como cinemas, festas, shows e bares abertos até mais tarde. São também os que mais são flagrados em festas clandestinas.

Um risco para eles e para toda a população, já que, além de se contaminarem, podem contaminar quem convive com eles: pais, avós, tios, professores, amigos.

Imaginando que esse mesmo comportamento possa estar presente entre os adolescentes de 12 a 17 anos, que começaram a ser vacinados nesta quinta-feira, a expectativa da prefeitura é a de que nem mesmo os 50% alcançados com os jovens de 18 a 29 anos seja batido com a meninada.

Em uma previsão otimista, o município acredita que se 10 mil dos 37 mil adolescentes buscarem pela dose da Pfizer, já estarão no lucro! 

Mas, como assim? Como desdenhar de uma ação que está promovendo a saúde e evitando a morte de milhares de pessoas? Sim, já está comprovado o efeito benéfico da vacina para evitar que as pessoas infectadas com o vírus desenvolvam a forma grave da doença.

O Boletim Observatório Covid-19, divulgado nesta quinta-feira pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), mostra que o sucesso da vacinação na prevenção de formas graves e fatais da doença é traduzido na redução no número de casos e óbitos e na estagnação na taxa de ocupação de leitos de UTI para adultos no SUS em patamares baixos, na maioria dos estados. Que pais e responsáveis não deixem que esses meninos e meninas viram as costas para tamanha proteção, não só para eles, mas para toda a sociedade.

Publicidade
Publicidade
Comentários