Sem combustível

Editorial / 23/10/2021 - 00h26

Se a vida em terras tupiniquins já andava difícil em função do caos econômico, a greve dos tanqueiros, responsáveis por distribuir a gasolina, álcool e diesel pelo país afora, veio colocar mais um ingrediente nesse caldeirão de dificuldades. Sendo o Brasil um país continental, onde o transporte é feito praticamente 90% sob quatro rodas, o sumiço do combustível vai representar mais inflação.

Em muitas cidades, principalmente nas capitais, a decisão da classe de cruzar os braços, até que se dê uma solução para as constantes altas dos preços do diesel, já tem consequências. Quem precisa do combustível para trabalhar, com medo de ficar com o tanque seco, já está correndo os postos e tentando armazenar o máximo possível, para evitar futuros dissabores. Mas essa corrida em busca do combustível, além de provocar filas e mais filas, está provocando o desabastecimento e causando pânico na população, que teme que o desabastecimento chegue às prateleiras dos supermercados ou ainda, que com a escassez do combustível, a inflação invada as gôndolas, causando mais fome e um rombo ainda maior no orçamento doméstico.

Esse é apenas mais um capítulo de uma novela que já se arrasta por três anos, fruto de uma política econômica que beneficia os ricos em detrimento daqueles que mais necessitam, de uma política que exige sacrifícios da população, gerando mais e mais pobreza e ao mesmo tempo, isenta as classes mais abastadas de cumprir com a obrigação de pagar seus impostos. 

Enquanto essa política distorcida persistir, o número de pobres e miseráveis no país só aumentará. Até que o governo se conscientize que o Auxílio Emergencial é só um paliativo, que o país precisa mesmo é de pulso firme para fazer a economia girar, abrindo novos postos de trabalho, controlando assim a voracidade da inflação, o cidadão viverá um cotidiano de sobressaltos, sem saber como fazer para que todas as suas necessidades caibam no minguado salário mínimo que recebe a cada mês. Até que esse dia chegue, a desesperança continuará fazendo morada por estas bandas.

Publicidade
Publicidade
Comentários