Mulheres em alta

Editorial / 29/05/2021 - 00h01

Tanto no mundo como no Brasil, as mulheres parecem estar em ascensão. Se ainda não é o cenário ideal, ao menos mostra que as mulheres estão conquistando mais espaço na sociedade, mais espaço, principalmente, em cargos de poder. É o que mostra não apenas a chegada de mulheres a postos de destaque internacional – como a nigeriana Ngozi Okongo-Iweala, eleita diretora- geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) ou a japonesa Seiko Hashimoto, ex-atleta olímpica e ministra do Empoderamento da Mulher e da Igualdade de Gênero, que assumiu a presidência do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 e será responsável por promover a integração de atletas do mundo inteiro. Isso mostra que o sexo feminino tem competência para ser o que quiser, e que elas podem, sim, estar no centro do poder.

O Brasil também reflete essa tendência, com mais mulheres chegando ao poder. É o que mostram, por exemplo, dados do Estudo de Conselhos de Administração realizado pela Korn Ferry, ao apontar que o número de mulheres em conselhos de Administração em grandes empresas dobrou nos últimos 5 anos, passando de 7% para 14% . Como são os conselhos de Administração que, na maioria das vezes, indicam a direção a ser tomada pela empresa, isso significa que as mulheres também detêm poder de decisão nesses locais. Os números no Brasil ainda não são os ideais e não se equiparam aos praticados no mundo, onde a presença feminina chega a 30%, mas são indicativos de considerável avanço. O estudo mostra ainda que o mercado percebeu a importância da diversidade de gênero para os negócios; que ter homens e mulheres atuando de forma equivalente pode ser mais produtivo.

Tudo isso prova que as mulheres agora não são mais coadjuvantes, mas protagonistas, pelos palcos do mundo, e, embora ainda não tenham conquistado todo o espaço que lhes cabe, já não se encontram mais à margem dos acontecimentos, mas inseridas neles, construindo, lado a lado, com os homens, os novos capítulos da história da humanidade. Sim, as mulheres estão em alta!

Publicidade
Publicidade
Comentários