Luz no fim do túnel em meio à Covid

Editorial / 30/07/2020 - 00h02

Neste momento de disseminação da pandemia do novo coronavírus, que vem castigando a economia, acelerando o fechamento de empresas, com o aumento dos índices de desemprego, principalmente até maio, um investimento de R$ 500 milhões no Norte de Minas surge como uma luz no fim do túnel para minimizar os impactos da doença.

Os recursos serão injetados na economia norte-mineira pela Empresa Mineira de Geração Distribuída (EMGD), que vai construir 35 usinas fotovoltaicas, chegando a 22 municípios do semiárido mineiro. Os empreendimentos devem ser instalados ao longo de quatro anos e vão gerar 1.500 postos de trabalho indiretos durante a construção e quase 200 vagas permanentes. 

O modelo que será implementado no Norte de Minas será o de compensação energética. Clientes industriais ou comerciais vão poder alugar lotes na fazenda solar e conseguir descontos no custo da energia entre 10% e 18%. A locação de uma cota de 5000 KWh/mês consegue reduzir a emissão de aproximadamente 1,4 tonelada de CO2 por ano, o equivalente ao plantio de 11 árvores.

O primeiro passo para a realização desse projeto maior foi a construção da primeira usina do grupo em Pirapora, batizada de UFV Corvina. Ela tem potência total de 6 megawatts-pico (MWp) e ocupa uma área equivalente a 15 campos de futebol. Ao todo, são 15 mil placas fotovoltaicas capazes de fornecer cerca de 925 mil quilowatts-hora por mês, o suficiente para 600 empresas, público-alvo do negócio.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta uma piora nas estimativas de contração na economia brasileira neste ano, devido aos impactos da pandemia de coronavírus. O órgão estima uma retração do Produto Interno Bruto (PIB) – soma da riquezas do país – de 9,1% em 2020. O investimento no Norte de Minas, além de garantir uma energia alternativa, limpa e renovável, por ser gerada sem emitir gases responsáveis pelo efeito estufa, ainda garante uma alternativa de arrecadação para os municípios e minimiza o quadro de desemprego na região.


 

Publicidade
Publicidade
Comentários