Homem Azul

Editorial / 23/11/2021 - 00h01

Novembro começa a se despedir e, com o fim do mês chegando, a campanha Novembro Azul volta às sombras, ao ostracismo. Mas nem por isso o câncer de próstata deixa de ser uma realidade. Ele continua “on”, como dizem as novas gerações. Por isso, o diagnóstico precoce continua sendo importante e fundamental para identificar a doença e se preservar vidas. 

Esse é o principal alerta da Campanha Novembro Azul, que embora saia de cena, precisar fazer sua mensagem continuar ecoando nos ouvidos masculinos como forma de conscientizá-los sobre a necessidade dos exames.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), um homem morre a cada 38 minutos no Brasil devido ao câncer de próstata. Além disso, são registrados 13.772 casos por ano da doença, que já representa 28,6% dos casos de cânceres em homens.

É preciso mais do que um mês de alerta, é preciso consciência com a própria saúde. Como o maior problema é a impossibilidade de prevenção da doença, o diagnóstico precoce torna-se o grande aliado para um tratamento eficaz e, sobretudo, para a diminuição da perda de vidas.

Ao contrário de outras enfermidades, o câncer de próstata não sinaliza seu início, não dá qualquer pista de que está se instalando. Esse é o grande perigo! O fato de ser assintomática (não apresentar sintoma), silenciosa, a doença acaba levando muitos a se descuidarem, deixando a visita ao médico para depois e depois e depois...

Quando os sintomas aparecem, geralmente, o câncer já está muito avançado. Aí, pode ser tarde demais.

Os números do Inca mostram a realidade e, mais do que dados que compõem um gráfico ou aparecem em uma pesquisa, são um alerta para todos os homens, sobretudo para aqueles que estão na faixa etária acima dos 40 anos, não deixarem seu exame para depois. 

Que o Novembro Azul fique enquanto mensagem o ano inteiro e que esta mensagem seja eficiente em seu propósito de conscientizar, para que os homens efetivamente busquem cuidar da saúde, deixando de lado a fantasia de super-heróis e sendo seres racionais que buscam valorizar e preservar a vida, no caso, a própria vida.

Que façam da demonstração do amor próprio um ato heroico, que se transformem no Super-Homem Azul, porque prevenir é sempre o melhor remédio e ser herói da própria saúde é uma forma de salvar, senão a humanidade, a si próprio.

Publicidade
Publicidade
Comentários