Educação é tudo!

Editorial / 04/06/2021 - 00h14

Para os que sonham com o diploma de curso superior, é preciso antes passar pelo Enem. Importante ferramenta, para não dizer ponte, entre o sonho de entrar em uma faculdade e a realidade de ter um diploma em mãos, o Enem testa o conhecimento daqueles que lutam por esse espaço.

As últimas edições do exame, que anuncia a próxima para novembro de 2021, foram marcadas por ausências em função da pandemia. O isolamento social determinado pela Covid-19, que impediu as aulas presenciais, parece foi fator fundamental para inúmeros estudantes não comparecerem.

Com isolamento menos rígido, vacinação em curso e a possibilidade de fazer o Enem de forma virtual, em sala que garante maior isolamento, espera-se para este ano menos abstenção. No entanto, os quase dois anos de aulas remotas podem levar a ausências, já que os alunos podem não se sentir preparados.

Se antes da pandemia o Enem ou qualquer outra forma de avaliação da educação mostrava o abismo entre aqueles que têm a oportunidade de estudar em escolas particulares e os que se vêm obrigados ao ensino público, durante a pandemia essa distância se aprofundou.

Os que estudam nas escolas particulares tiveram um suporte maior e melhor das suas instituições e, ainda, tinham, muitas vezes, mais apoio e mais estrutura em casa. Essa é a realidade e será com essa realidade, um pouco mais cruel depois de praticamente dois anos de pandemia, que os jovens precisarão lidar. Medo, ansiedade e outras dificuldades certamente influenciarão nos resultados, mas a falta de suporte e de estrutura durante a pandemia vai ter maior peso.

Sim, a pandemia vai deixar muitas cicatrizes. A mais dolorosa e definitiva são as vidas perdidas. Mas o estrago na educação também será substancial e deixará profundas marcas ao comprometer o futuro de uma geração, deixando-a mais distante do sonho do diploma, que significa para muitos o passaporte para uma realidade melhor, com melhores oportunidades que garantirão uma vida mais digna.

Que a educação consiga se reinventar, se customizar para garantir a estes jovens o direito a sonhos realizados, porque, afinal, para muitos dos nossos jovens educação é tudo, de verdade!

Os que estudam nas escolas particulares tiveram um suporte maior e melhor das suas instituições

 

Publicidade
Publicidade
Comentários