Covid requer mais cuidados em hospitais

Editorial / 31/07/2020 - 00h03

Apenas em Montes Claros e em mais seis municípios do Norte de Minas, pelo menos 232 profissionais já foram contaminados pelo novo coronavírus. Se levar em consideração as 89 cidades que compõem a região, outras centenas de trabalhadores na área da Saúde, principalmente auxiliares e técnicos de enfermagem, devem ter sido infectados pela Covid-19.

Entre os municípios que enviaram os relatórios epidemiológicos, Montes Claros teve o maior número de infectados (127), seguido por Montalvânia (40) e Manga (39). Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) aponta que a sobrecarga de serviço e a lotação das unidades têm sido os principais fatores para a contaminação dos profissionais da área de saúde.

Muitos profissionais que vivem essa rotina diária, com o maior risco de infecção, avaliam que se o Hospital de Campanha – previsto para ser instalado na UPA Chiquinho Guimarães – estivesse ativo, a disseminação da doença entre os profissionais seria minimizada. O espaço conta com toda infraestrutura para atendimento aos pacientes de Covid-19, mas continua com as portas fechadas e todo o equipamento ainda encaixotado e coberto com lonas.

No Hospital das Clínicas Mário Ribeiro (HC), em Montes Claros, referência no tratamento de Covid, há um reforço no cuidado diário com os funcionários. Além do acesso ao álcool em gel, aqueles que trabalham na ala de tratamento de coronavírus não podem transitar pelo resto da unidade hospitalar livremente. Houve também uma capacitação para a utilização correta dos EPIs.

Porém, neste momento de disseminação da doença, é necessário que as unidades hospitalares do Norte de Minas sigam o exemplo do HC e intensifiquem os cuidados para a proteção dos funcionários. É importante ainda que todos os hospitais adotem também as ações previstas em cartilha do governo de Minas para evitar a propagação do vírus. 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários