Consciência coletiva, já!

Editorial / 27/05/2021 - 00h01

A consciência coletiva sobre a necessidade de vacinação contra inúmeras doenças, como meningite, sarampo, coqueluche e poliomielite, é o que pode evitar surtos e pandemias, que costumavam acontecer com frequência antes do século XVIII, quando o médico Edward Jenner descobriu a vacina da varíola. De lá para cá, até chegar às vacinas contra a Covid-19, muitas foram as descobertas que levaram ao controle de muitas doenças. 

Isso faz refletir sobre o momento atual e a resistência em relação à vacina contra a Covid-19. Porque é secular a importância de imunizar-se, nos vários ciclos da vida, não apenas para o indivíduo, mas para a sociedade, como um todo, já que as vacinas atuam defendendo o organismo contra agentes bacterianos e infecciosos.

É uma incógnita, portanto, o fato de algumas pessoas passarem a não acreditar na eficácia das vacinas. Afinal, é preciso ter em mente que o que nos mantém livres dessas doenças é a imunização. Se alguém decide não se vacinar e nem vacinar seus filhos, esta colaborando para o risco de novos surtos e epidemias desses males. Tanto é verdade que essa reação contra a imunização tem causado, em alguns países, a volta de doenças já controladas, o que preocupa a comunidade cientifica, já que, se um grande número de cidadãos passar a agir como se a imunização não fosse mais necessária, inclusive doenças do século passado podem retornar, colocando em risco toda a sociedade e o trabalho de séculos.

Diante de tudo isso, é preciso que sejamos menos egoístas e passemos a agir com foco na coletividade e não apenas em nós mesmos. Só essa consciência coletiva poderá ser capaz, não apenas de manter essas doenças do passado controladas, bem como de controlar a Covid-19, garantindo a preservação da vida. Portanto, consciência coletiva, já! Vacinem-se!

Publicidade
Publicidade
Comentários