A qualquer preço

Direto de Brasília / 14/04/2018 - 07h41
Seria cômico se não fosse trágico o desejo de parlamentares de incluir o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do juiz Sérgio Moro na identificação no painel de votações do plenário do Congresso. Isso para tentar tirar vantagem na hora da identificação na urna eleitoral. Até o momento 46 deputados e três senadores pediram para fazer a mudança.
 
Salário mínimo
De acordo com previsão do governo, o salário mínimo passará pela primeira vez de R$ 1 mil em 2019. O valor de R$ 1.002 consta no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO). O aumento, em relação ao valor deste ano, de R$ 954, será de 5,03%, com ganho real de quase 2%, caso a inflação fique em 3%, como prevê parte do mercado financeiro. O novo mínimo, porém, terá que ser ratificado pelo Congresso.
 
Palocci fica
Por 7 votos a 4, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na última quinta-feira (12), negar o pedido de liberdade protocolado pela defesa do ex-ministro Antônio Palocci, preso desde setembro de 2016 na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, devido às investigações da Operação Lava Jato. No ano passado, Palocci foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em um dos processos a que responde no âmbito da Lava Jato.
 
A vez de Aécio
O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu manter para a próxima terça-feira (17) o julgamento sobre o recebimento da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) em um dos inquéritos resultantes da delação do empresário Joesley Batista, do grupo J&F. Também são alvos da mesma denúncia a irmã do senador, Andrea Neves, o primo dele, Frederico Pacheco, e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), flagrado com dinheiro vivo. Todos foram acusados de corrupção passiva.
 
Mal-estar
Na manhã de quinta-feira (12), o senador Aécio Neves foi levado ao Hospital Santa Lúcia, em Brasília, após sentir um mal-estar. No início da tarde, o hospital emitiu nota assinada por seu diretor-médico, Sérgio Murilo Domingues Junior, na qual afirma que Aécio foi ao hospital "para cumprir com exames de rotina". Ainda segundo o comunicado, o senador mineiro já foi liberado.
 
Pente-fino
O INSS vai convocar para perícia médica pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, são 152 mil convocados, que devem procurar o instituto até o dia 04 de maio. A medida faz parte do pente-fino que o governo federal realiza, desde agosto de 2016, nos benefícios por incapacidade. Até o fim do ano devem ser feitas um milhão e duzentas mil avaliações médicas.
Publicidade
Publicidade
Comentários