Ruy Muniz, sinônimo de resiliência

Conversa Inteligente / 24/11/2020 - 00h03

O professor, médico e empreendedor Ruy Muniz (Progressistas) reúne três resiliências: emocional, acadêmica e social. Sua capacidade de superação impressiona, impõe respeito até aos adversários políticos. Não existe limite para superar as adversidades. Por isso, Muniz sai da eleição como principal nome da oposição – quem conhece um pouco de política sabe que o ciclo político é contínuo –, firme, passa a se opor à situação de maneira mais pragmática e contundente, abrindo novos caminhos para 2022.

Grupo situacionista 
O grupo da situação em Montes Claros terá sérias dificuldades a partir de agora para manter a aliança, que tudo indica, não sobreviverá nem até a posse de reeleição do atual prefeito, marcada para 1º de janeiro de 2021, já que a disputa por cargos gerou uma espécie de guerrilha pelo poder.
 
Fechamento 
Como era esperado, sem controle da Covid-19, o Prefeito de Montes Claros, Humberto Souto, que tudo indica vai terminar o ano sem pisar os pés na prefeitura, já pensa em fechar setores do comércio. 
 
Obras inacabadas
Depois dos milhões gastos para maquiar a cidade, Humberto Souto agora puxou o freio de mão. Vai terminar o ano com obras inacabadas.
 
Leninha do PT
Alerta no Partido dos Trabalhadores: os votos da deputada Leninha estão decadentes. Dos 36.030 (19,13%) obtidos como candidata à prefeita em 2016, caíram para 22.560 em 2018, para deputada estadual (12,91%) . Agora, como candidata a prefeita, os votos foram para 10.685 (5,13%). Ou seja, nas últimas duas eleições, Leninha perdeu em Montes Claros 25.345 votos. A luz amarela acendeu para 2022.
 
Correção 
Na coluna anterior disse que o PTB não teria eleito vereador em Montes Claros. Fez um, Wilton Dias.

Publicidade
Publicidade
Comentários